11:10 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Caças das Forças Armadas dos EUA durante operação nos céus da Síria

    Deputado republicano defende radicalização dos combates para derrotar EI e derrubar Assad

    © flickr.com/ U.S. Department of Defense
    Mundo
    URL curta
    0 475016

    O deputado norte-americano Michael McCaul, do Partido Republicano, disse nesta quarta-feira que Washington precisa expandir suas regras de combate na Síria para "além do dano colateral zero" se quiser derrubar o regime de Bashar Assad e derrotar o Estado Islâmico.

    Bashar al-Assad, presidente da Síria
    © REUTERS/ SANA/Handout via Reuters
    Reconhecendo que os EUA estão desperdiçando décadas em conflitos com extremistas islâmicos em outras partes do mundo, o parlamentar, que é presidente do Comitê de Segurança Nacional da Câmara dos Representantes, defendeu uma posição mais agressiva da Defesa norte-americana ao invés da atual estratégia do presidente Barack Obama, demasiadamente restrita, na sua opinião.

    "Eu acredito que nós estamos perdendo a guerra contra o EI e a guerra mais ampla contra o terror islâmico", declarou McCaul durante uma reunião da Heritage Foundation, organização conservadora, com sede em Washington, voltada para a promoção de ideias e políticas públicas baseadas nos princípios do livre mercado, governo limitado, liberdade individual, valores tradicionais e forte defesa nacional.

    Os Estados Unidos, segundo o deputado, devem intensificar os ataques aéreos nas áreas ocupadas pelos terroristas, aumentar a cooperação com as forças locais e fornecer mais especialistas para ajudar na preparação do exército iraquiano e dos "rebeldes sírios moderados", já que apenas 60 receberam treinamento dos EUA até agora. 

    Recentemente, a Casa Branca manifestou a necessidade de reduzir o número de baixas entre civis no Oriente Médio, após diversas críticas sobre as táticas utilizadas por Washington no combate aos extremistas. Entretanto, para McCaul, a preocupação com os danos colaterais dos ataques não deve ser um obstáculo para os Estados Unidos, mesmo que isso signifique uma violação das leis internacionais de guerra.

    Mais:

    Ex-funcionário do Pentágono responsabiliza EUA por crescimento do Estado Islâmico
    EUA perdem base militar perto da Rússia
    Vladimir Putin e Barack Obama voltam a discutir a crise na Síria
    EUA querem saber quem usou armas químicas na Síria, mas por que agora?
    Tags:
    guerra, Heritage Foundation, Michael McCaul, Barack Obama, Oriente Médio, Iraque, Síria, EUA, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik