11:16 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Secretário do Exterior do Reino Unido Philip Hammond

    Hammond: “Árduo" processo democrático impede Ocidente de confrontar a Rússia

    © AFP 2017/ FAYEZ NURELDINE
    Mundo
    URL curta
    102264122

    Os governos ocidentais são menos capazes de reagir em tempo hábil aos desafios internacionais devido ao “árduo”processo democrático, o que os coloca em desvantagem ao lidar com a Rússia, disse o secretário do Exterior britânico Philip Hammond ao Comitê de Assuntos Externos.

    No início de junho, o secretário da Defesa Michael Fallon disse a parlamentares do Reino Unido que eles deveriam mais uma vez considerar o lançamento de ataques aéreos na Síria.

    "Nós como uma nação e como parte de uma aliança na OTAN devemos pensar sobre como podemos lidar com o desafio de nossos processos de tomada de decisão relativamente árduos", disse Hammond citando a agilidade russa em crises, tal qual citado pelo Financial Times na terça-feira (21).

    Ele acrescentou que os governos ocidentais "precisam obter adesão para qualquer ação a partir de uma ampla gama de atores — adesão da mídia, adesão do parlamento e adesão do público".

    Hammond forneceu um exemplo de uma votação de 2013 na qual o Parlamento do Reino Unido decidiu contra a participação do país em ações militares na Síria.

    "[Nós vemos] o Iraque e a Síria como um único teatro com um conjunto limitado de permissões que param em uma fronteira artificial. Isso é militarmente ineficiente… É difícil ver como o Daesh será efetivamente derrotado no âmbito militar sem ser derrotado em sua base de Raqqa [na Síria]".

    O grupo jihadista Estado Islâmico, também conhecido como Daesh, tomou grandes áreas no Iraque e na Síria. Em setembro de 2014, o Reino Unido se juntou à coalizão liderada pelos Estados Unidos, que tem realizado ataques aéreos contra posições EI no Iraque desde agosto de 2014.

    Mais:

    Síria pede a formação de uma coalizão contra EI apoiada por Rússia
    Chancelaria russa: eficácia de golpes aéreos da coalizão internacional contra EI é baixa
    Coalizão contra o EI matou mais de 8,5 mil terroristas, diz general dos EUA
    Tags:
    aliança militar, coalizão, terrorismo, EI, OTAN, Michael Fallon, Philip Hammond, Síria, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik