02:13 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Destroços do Boeing-777 em Donetsk, no leste da Ucrânia

    Churkin: Decisão de criação de tribunal sobre voo MH17 ainda não foi tomada

    © Sputnik/ Andrei Stenin
    Mundo
    URL curta
    0 21031

    Os membros do Conselho de Segurança da ONU não tomaram quaisquer decisões sobre o projeto de criação de um tribunal internacional para investigar o acidente do Boeing malaio na Ucrânia, disse nesta segunda-feira o representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, após as consultas sobre o tema.

    “Não foram alcançados resultados e entendimentos definitivos, o importante é que nos despedimos dispostos a encontrar um denominador comum”, disse. 

    Lembramos que a Malásia apresentou no Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução sobre a criação de um tribunal internacional de investigação do acidente do voo MH17, que foi abatido no leste da Ucrânia em julho de 2014. A Rússia não apoia esta proposta. O presidente do país Vladimir Putin caracterizou esta iniciativa como “contraproducente e extemporânea”.

    Segundo o plano da Malásia, o tribunal deve garantir um processo penal justo para os culpados no acidente do voo MH17. 

    Segundo ele, as datas das novas consultas ainda não foram marcadas, assim como a data da possível apresentação do projeto ao Conselho de Segurança. 

    Churkin confirmou mais uma vez a posição da Rússia de que o Conselho de Segurança não deve se ocupar da criação de tribunais penais, conforme propõe a Malásia.  

    “Se de alguma maneira for possível corrigir este momento essencial e difícil, será possível buscar uma solução no Conselho de Segurança que seja na linha da resolução 2166 [resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre necessidade de investigação independente, multilateral e escrupuloso do acidente]”, manifestou. 

    “Estou muito satisfeito com o curso e os resultados desta discussão. Com certeza, soaram algumas réplicas polêmicas dos nossos colegas ocidentais. Mas em geral eu senti o desejo de, nessas condições difíceis e sob uma grande pressão propagandista criada pela mídia mundial, o Conselho de Segurança não ser envolvido num qualquer jogo político propagandista, mas sim ajudar a dar um passo real na realização da investigação que leve por fim a um processo penal, que é necessário”. 

    Nikolay Starikov, cientista político russo, comentou o projeto de tribunal internacional:

    “O que o Ocidente propõe é, em primeiro lugar, estabelecer um tribunal e depois disso realizar uma investigação. Porém, segundo as normas internacionais, tudo deve ser feito ao contrário. O Ocidente nomeou o culpado antecipadamente – é a Rússia. Ele precisa retirar do processo o maior número possível de vantagens políticas. Por isso eles propõem estabelecer este tribunal”, opina. 

    “Se agora cada acidente aéreo deve, segundo os especialistas ocidentais, ser seguido por um tribunal, vamos seguir uma ordem cronológica. Em primeiro lugar vamos estabelecer um tribunal para investigar a destruição do Boeing iraniano pelos EUA no golfo Pérsico [em 1988]. Da mesma maneira é absolutamente óbvia a culpa da Ucrânia na destruição do avião russo sobre o mar Negro [em 2001] – foi abatido pelo míssil ucraniano”, concluiu o especialista. 

    Em 17 de julho de 2014, um avião da Malaysia Airlines que fazia o voo MH17 entre Amsterdã e Kuala Lumpur foi abatido no sudeste da Ucrânia (Donbass). Todas as 298 pessoas a bordo da aeronave morreram no acidente.

    Tags:
    acidente aéreo, MH17, investigação, Conselho de Segurança da ONU, Vitaly Churkin, Malásia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik