00:52 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    A cidade iraquiana de Khan Bani Saad após o ataque com carro-bomba da última sexta-feira (18)

    Putin envia condolências ao governo do Iraque

    © AFP 2017/ AHMAD AL-RUBAYE
    Mundo
    URL curta
    0 810143

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, enviou condolências neste sábado ao líder iraquiano Fuad Masum e ao primeiro-ministro Haider Abadi pelo terrível ataque terrorista de ontem, reivindicado pelo Estado Islâmico, no leste do Iraque, segundo informou o serviço de imprensa do Kremlin através de um comunicado.

    Na última sexta-feira, um carro-bomba com mais de três toneladas de explosivos foi detonado em um movimentado mercado da cidade iraquiana de Khan Bani Saad, ao norte de Bagdá, matando mais de 120 pessoas e deixando outras 130 feridas, em plena comemoração do fim do Ramadã. 

    "Aceitem as minhas mais sinceras condolências por esse brutal ato de terror perpetrado perto da capital do Iraque. Dezenas de civis se tornaram vítimas dos terroristas do Estado Islâmico que entraram em Khan Bani Saad. Nós reafirmamos o nosso apoio e solidariedade para com o povo iraquiano, que tem liderado uma longa e dura batalha contra as forças extremistas", diz o texto da presidência russa. 

    Embora no mês sagrado do Ramadã, segundo as leis islâmicas, os muçulmanos não sejam autorizados a participar de qualquer tipo de ação militar, o Observatório de Direitos Humanos da Síria divulgou um relatório informando que mais de 6 mil pessoas foram mortas em batalhas e ataques terroristas no Oriente Médio e no Norte da África durante o Ramadã deste ano, marcado por esse trágico atentado em Khan Bani Saad. 

     

    Mais:

    Explosão de carro-bomba mata 35 durante comemorações do fim do Ramadã no Iraque
    Iraque: coalizão faz pouco no combate ao Estado Islâmico
    Tags:
    carro bomba, terrorismo, Ramadã, ataque terrorista, Kremlin, Estado Islâmico, Haider al-Abadi, Fuad Masum, Vladimir Putin, Rússia, Bagdá, África, Oriente Médio, Síria, Khan Bani Saad, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik