07:09 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Bandeira da China

    UE recorre à China para responder a pressão dos EUA

    © AFP 2017/ Mark Ralston
    Mundo
    URL curta
    22119311

    O acordo de investimentos entre China e a União Europeia servirá de contrapeso à pressão que os Estados Unidos exercem nas negociações sobre o Tratado de Livre Comércio Transatlântico (TTIP, na sigla em inglês), revelou à Sputnik a diretora do Centro de Investigações do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, Natalia Stapran.

    A décima rodada de negociações está sendo realizada em Bruxelas, e a expectativa é de encerrar os debates até o fim de 2015. A especialista avalia que os Estados Unidos insistem no tratado apesar das várias contradições que existem sobre suas condições. Por isso, o início das negociações paralelas com a China pode ser considerado um passo político.

    Stapran afirma que o país asiático está interessado em entrar no mercado europeu e assinar um acordo comercial com a União Europeia. Caso contrário, a "China pode ficar isolada."

    "É muito provável que se trate de um jogo político. A Europa joga com os interesses da China para responder à pressão dos Estados Unidos."

    A especialista assegura que o principal parceiro da Europa continuam sendo os EUA, segundo o volume total de investimentos. Além disso, os dois territórios seguem as mesmas regras do jogo, enquanto a China conta com uma estrutura econômica diferente.

    "Para a China, a participação em negociações assim representa um grande desafio", ressalta Stapran, adicionando que Rússia e União Eurasiática, integrada também por Bielorrússia, Cazaquistão e Quirguistão, têm mais elementos em comum. Por isso, a fusão entre a Rota da Seda e a União Europeia "é um campo de treino para que a China passe a adotar as regras do jogo europeias."

    Segundo a especialista, as negociações entre EUA e UE sobre o TTIP não terão um resultado relevante, pois a União Europeia não conta com uma postura única e atravessa uma crise.

    Mais:

    Ativistas: o TTIP pode minar a democracia
    Acordo TTIP ameaça segurança alimentar da Europa
    Mais de 2 milhões de europeus assinam petição contra o TTIP
    Tags:
    Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP), livre comércio, economia, União Eurasiática, União Europeia, Europa, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik