06:59 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Mundo

    Arábia Saudita pressionará Irã por produzir petróleo em excesso

    Mundo
    URL curta
    31505117

    O aumento da produção de petróleo no Irã pode levar a pressão por parte da Arábia Saudita contra Teerã, o que dificultará a chegada de empresas estrangeiras ao mercado iraniano, disse à Sputnik o presidente da Alfa Energy Group, John Hall.

    Soldados de EEUU
    © flickr.com/ U.S. Department of Defense Current Photos/ U.S. Army photo by Pfc. Nathanael Mercado
    "Arábia Saudita exercerá pressão adicional sobre o Irã, o que influenciará de maneira negativa as petroleiras internacionais de que o Irã precisa para restaurar sua infraestrutura", avaliou.

    Hall disse ainda que apesar das altas expectativas do mercado e das declarações otimistas do Irã, que promete aumentar a produção do petróleo cru de 1,1 milhão de barris diários para 2,3 milhões, a verdade é que o país não conseguirá efetuar esse aumento tão rapidamente.

    "A curto prazo, o aumento alcançará uns 200 ou 300 mil barris diários. Os maiores números levarão entre 8 e 12 meses para serem alcançados", explicou Hall.

    No futuro, esses volumes adicionais afetarão de maneira negativa os preços, que já caíram US$ 4 por barril no fim do mês passado por causa da crescente competição dentro da OPEP, a Organização dos Países Produtores de Petróleo.

    O Irã e o grupo P5+1 (Grã-Bretanha, China, França, Rússia, EUA e Alemanha) conseguiram, nesta terça-feira, um acordo sobre o programa nuclear iraniano. Em troca de continuar seu programa nuclear para fins apenas civis, o Irã terá suas sanções econômicas — que afetam a exportação de petróleo — levantadas por Washington e seus aliados.

    Mais:

    Teerã comemora acordo nuclear
    Mísseis dos EUA continuam na Europa apesar de acordo com Irã
    Iranianos saem às ruas para celebrar acordo nuclear
    Mogherini: há acordo com Irã (AO VIVO)
    Tags:
    pressão, exportação, produção, petróleo, OPEP, Arábia Saudita, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik