01:43 19 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    An employee walks past gas pipes at the gas compressor station in Velke Kapusany, Slovakia

    UE critica planos russos de abandonar gasoduto via Ucrânia

    © AP Photo/ Petr David Josek
    Mundo
    URL curta
    41626171

    Os planos da Rússia de substituir as entregas de gás via Ucrânia usando rotas alternativas ameaçam a segurança energética do continente, afirmou nesta quarta-feira o vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic.

    Sefcovic afirmou que o sistema de transporte de gás da União Europeia, especialmente na Europa Central, foi projetado para ser inteiramente compatível com as entregas de gás via Ucrânia.

    "Se o objetivo é gradualmente secar a rota ucraniana, é algo inaceitável para a União Europeia porque realmente mudaria o equilíbrio do gás na Europa e colocaria em situaçãodifícil os países da Europa Central e do Sudeste Europeu", disse Sefcovic.

    No início de julho, o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, expressou confiança na extensão do acordo de entregas de gás entre Rússia e Ucrânia. Poroshenko acreditava que não havia alternativa à rota ucraniana.

    No fim de junho, o líder da gigante energética russa Gazprom, Alexey Miller, avisou que a empresa não tinha intenção de renovar seu contrato com a Ucrânia após 2019 se a Ucrânia oferecesse termos não favoráveis para a companhia.

    "Quando você olha para a construção e as propostas do gasoduto (via Turquia), há um objetivo — como fazer a rota ucraniana menos relevante, ou como cortar completamente o fornecimento via Ucrânia. É claro que isto traria consequências muito negativas para a segurança energética na Europa porque a rota ucraniana é muito importante. É a maior, com 140 bilhões de metros cúbicos anuais", disse Sefcovic.

    Mais:

    Vladimir Putin e Alexis Tsipras conversam sobre construção de gasoduto através da Grécia
    Novo gasoduto ligará Rússia e Alemanha
    China começará a construir seu trecho do gasoduto Poder da Sibéria
    Tags:
    segurança energética, energia, gasoduto, gás, União Europeia, Gazprom, Alexey Miller, Pyotr Poroshenko, Maros Sefcovic, Turquia, Europa, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik