13:42 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Estados Unidos (EUA) testam armas nucleares em Nevada

    Especialista: nova bomba nuclear ‘atingirá’ os próprios EUA

    © flickr.com/
    Mundo
    URL curta
    277950936

    O especialista militar americano na área da defesa antimíssil Theodore Postol opinou que a modernização da bomba B61-12 pelos Estados Unidos pode levar a Rússia e a China a criar novas armas estratégicas.

    Na entrevista à emissora Sputnik, o professor emérito do Instituto de Tecnologia de Massachusetts em ciência, tecnologia e política de segurança nacional Theodore Postol disse:

    "A possibilidade do uso militar do armamento é baseado na ideia imaginada e estranha de que os EUA podem lutar e vencer nas guerras atômicas. Este tipo de armas nunca poderá ser usado na realidade contra um Estado que possui armas nucleares porque provocaria uma escalada nuclear incontrolável."

    A bomba B61-12
    © flickr.com/ Dave Bezaire & Susi Havens-Bezaire
    Lembramos que a bomba B61-12 sem ogiva foi testada várias vezes por um caça F-15E a partir do polígono de Tonopah em Nevada, no oeste do país. Segundo especialistas internacionais, o teste tem a ver com a modernização prevista do arsenal nuclear dos Estados Unidos na Europa. O professor Postol declarou que os passos para modernizar esta bomba incontrolável provavelmente levarão a resultados desagradáveis, com consequências imprevisíveis para os políticos americanos.

    "Este é mais um exemplo de que o programa de modernização nuclear dos EUA continua minando a segurança dos EUA e dos aliados."

    O especialista militar também advertiu os políticos de que o uso da bomba contra países sem arsenal nuclear também poderá levar a resultados imprevisíveis. Ele está seguro de que  a modernização da bomba é "um sinal errado para a Rússia, já irritada com o progresso constante dos EUA na área de capacidades nucleares, e para a China que, apesar de provocações constantes, tenta manter uma posição razoável de dissuasão mínima".

    Tags:
    opinião, bomba, armas nucleares, Rússia, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik