20:35 23 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Briefing do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, no âmbito da cúpula dos BRICS em Ufá

    Chanceler russo comenta questões ‘quentes’ da agenda internacional

    © Sputnik/ agência-photohost
    Mundo
    URL curta
    BRICS: organização do futuro (189)
    31541271

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, realizou o briefing no âmbito da cúpula dos BRICS.

    Na manhã da quinta-feira, 9 de julho, o chanceler russo abordou um vasto leque das questões da agenda internacional no briefing realizado no âmbito da cúpula dos BRICS na cidade russa em Ufá.

    Situação econômica da Grécia e possível Grexit

    No domingo passado (5) a maioria dos gregos votou no referendo nacional contra as medidas propostas pelos credores da Grécia, nomeadamente contra medidas de austeridade, incluindo cortes nas pensões e aumento de impostos, em troca de um novo pacote de ajuda financeira. A Grécia pode sair da zona do euro, o que agravará a situação econômica em todos os países da União Europeia. Sergei Lavrov comentou a situação:

    “A nossa posição foi divulgada pelo presidente da Rússia – nós estamos interessados em que seja tomada uma decisão o mais breve possível, aceitável por todos, para a questão da dívida grega e para a maneira de resolver o problema.”

    Presença militar da OTAN perto das fronteiras da Rússia

    O surgimento de infraestrutura adicional da OTAN perto das fronteiras russas não corresponde aos acordos entre a Rússia e a aliança, declarou Sergei Lavrov no briefing.

    "Primeiramente são apresentadas acusações infundadas contra nós, e a opinião pública é influenciada e depois citada para tomar passos completamente práticos, e não retóricos, criando a infraestrutura militar da OTAN perto das nossas fronteiras, o que viola as obrigações aprovadas entre a Rússia e a Aliança no âmbito de tal chamado Ato Fundador."

    A Rússia já expressou repetidas vezes sua preocupação pelo fortalecimento da presença militar da OTAN perto de suas fronteiras. Em resposta às declarações dos responsáveis da OTAN sobre a alegada ameaça russa o presidente da Rússia, Vladimir Putin, já tem declarado várias vezes que são as forças da OTAN que se aproximam das fronteiras da Rússia, e não o contrário.

    Combate ao grupo terrorista Estado Islâmico

    Enquanto a coalizão liderada pelos EUA combate o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), os resultados de tais operações continuam sendo pouco eficazes. O chanceler russo assegurou que a Rússia continuará a apoiar plenamente a proposta de criar a coalizão de formato universal para continuar o combate ao terrorismo.

    “Continuaremos a garantir a segurança das nossas fronteiras, do nosso país. A região não sofre da falta de pessoas armadas que poderiam combater o EI. É crucial, e tentamos fazer isso, que todos eles se juntem contra a ameaça maior.”

    Negociações sobre programa nuclear do Irã

    O ministro do Exterior russo declarou que a parte russa está pronta para continuar as negociações em Viena com o sexteto de mediadores internacionais sobre o programa nuclear do Irã e que o acordo abrangente está quase pronto. A questão tem a ver com a natureza pacífica do programa nuclear do Irã e levantamento das sanções impostas contra o país pelo Conselho de Segurança da ONU.

    “Atualmente estamos perto da conclusão do acordo abrangente, baseado no direito do Irã de desenvolver pacificamente a área da energia nuclear, inclusive o direito de enriquecer urânio.”

    Situação na Ucrânia

    O chanceler russo comentou a crise ucraniana, sublinhando a importância de implementar os acordos de paz de Minsk alcançados em fevereiro, após conversações entre os líderes da Rússia, Alemanha, França e Ucrânia na capital bielorrussa e assinado pelo Grupo de Contato sobre a Ucrânia (composta pelos representantes do governo da Ucrânia e os das autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk e a OSCE).

    “Nos documentos, que serão apresentados em poucas horas, os líderes dos BRICS e SCO expressarão a nossa posição comum sobre a necessidade de implementar plenamente e conscienciosamente os acordos Minsk.”

    Tema:
    BRICS: organização do futuro (189)
    Tags:
    declaração, sétima cúpula do BRICS, BRICS, Ministerio das Relacoes Exteriores (Russia), Sergei Lavrov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik