22:04 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Vatican Foreign Minister Paul Gallagher, right, and his Palestinian counterpart, Riad al-Malki, shake hands after signing a treaty at a ceremony inside the Vatican, Friday, June 26, 2015.

    Embaixada da Palestina no Vaticano deverá ser aberta em dois meses

    © AP Photo / L'Osservatore Romano
    Mundo
    URL curta
    0 21

    O ministro das Relações Exteriores palestino, Riyad al-Maliki, afirmou nesta quinta-feira (2) que a Palestina planeja abrir uma embaixada no Vaticano em dois meses.

    “Nós assinamos um acordo legal com o Vaticano que define a relação entre a Igreja Católica, que é representada em muitos países, e o governo palestino. E é possível que no próximo par de meses, vamos abrir nossa embaixada no Vaticano”, disse Maliki em uma entrevista coletiva em Moscou.

    Na sexta-feira (26), o Vaticano e a Palestina assinaram um acordo sobre os direitos da Igreja Católica em território palestino. O documento passou 15 anos sendo preparado por diplomatas de ambos os lados e, para os palestinos, é o reconhecimento de fato do seu Estado pela Santa Sé. Desde 2013, o Vaticano se refere à Palestina como um Estado.

    O acordo foi assinado pelos dois chanceleres, Riyad al-Maliki e o prelado Paul Richard Gallagher, no Palácio Pontifício e conta com o apoio do Vaticano a uma solução do conflito palestino com Israel a partir da instituição de dois Estados. Segundo a Organização para Libertação da Palestina (OLP), já são 136 o número de países que reconhecem o Estado da Palestina.

    Apesar de protestos norte-americanos, canadenses e israelenses, a Assembleia Geral da ONU reconheceu a Palestina como um Estado observador não-membro em 2012.

    Tags:
    acordo, abertura, embaixada, Estado Palestino, reconhecimento, Palácio Pontifício, Nações Unidas, Assembleia Geral da ONU, ONU, Organização para Libertação da Palestina, OLP, Igreja Católica, Santa Sé, Ryad al-Maliki, Paul Richard Gallagher, Israel, Canadá, EUA, Moscou, Vaticano, Palestina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar