12:21 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Li Keqiang, primeiro-ministro da China

    China oferece ajuda para manter a Grécia na zona do euro

    © AFP 2019 / JULIEN WARNAND
    Mundo
    URL curta
    5166

    O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, disse nesta segunda-feira que a China está pronta para desempenhar um papel construtivo na resolução da crise da dívida grega, pois Pequim deseja que a Grécia permaneça na zona do euro e supere as atuais dificuldades.

    "A China quer ver a Grécia permanecer na zona do euro, e nós pedimos aos credores relevantes que cheguem logo a um acordo com o governo grego", declarou Li durante uma coletiva de imprensa após um encontro de negócios entre autoridades da China e da União Europeia, em Bruxelas. 

    "Várias vezes, a China tomou ações reais para responder à preocupação e aos pedidos do governo grego, porque nós esperamos que a Grécia se recupere e esperamos ver uma União Europeia unida", acrescentou o premier chinês. 

    A Grécia tem até esta terça-feira para pagar uma parcela de 1,6 bilhão de euros relativos a um empréstimo adquirido junto ao FMI. Mas, com sérios problemas de liquidez, o país depende de outro empréstimo internacional para realizar o pagamento.

    Para conseguir a liberação desse dinheiro, no entanto, Atenas teria que cumprir algumas exigências dos seus credores, incluindo uma considerável alta nos impostos e cortes na previdência social. Medidas, que, segundo o primeiro-ministro Alexis Tsipras, o país não estaria disposto a adotar. Ainda assim, na última sexta-feira, Tsipras anunciou a convocação de um referendo para 5 de julho para decidir se o povo grego aceitaria as demandas impostas pelos credores em troca de mais ajuda.

    Segundo alguns órgãos de imprensa internacionais, fontes do governo grego teriam afirmado nesta tarde que Atenas decidiu não pagar a parcela da dívida que vence amanhã. Se isso acontecer, a Grécia será a primeira economia considerada "avançada" a ficar inadimplente junto ao Fundo Monetário Internacional. 

    Mais:

    Merkel: Grécia não demonstrou vontade de compromisso
    BC da Grécia teria pedido mais € 6 bilhões ao Banco Central Europeu
    Jean-Claude Juncker vira cabo eleitoral do 'sim' em referendo na Grécia
    Varoufakis se lança contra uma Europa que quer humilhar a Grécia
    Tags:
    economia, dívida, crise, FMI, União Europeia, Li Keqiang, Alexis Tsipras, Bruxelas, Atenas, Europa, Pequim, China, Grécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar