13:07 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Explosão em Kobani, na Síria.

    Líder de partido oposicionista acusa governo da Turquia de ajudar o Estado Islâmico

    © REUTERS/ Ali Sahin
    Mundo
    URL curta
    103

    O líder do oposicionista Partido Democrático dos Povos (HDP) da Turquia, Figen Yuksekdag, acusou o governo de seu país de apoiar o Estado Islâmico e o responsabilizou pelo ataque do grupo jihadista à cidade de Kobane na quinta-feira (25).

    "O governo turco tem apoiado o Estado Islâmico. O massacre é parte deste apoio. Há grandes possibilidade da ação tenham chegado à cidade pela fronteira com a Turquia", disse Yuksekdag, cujo partido apoia os curdos.

    Os jihadistas empreenderam uma ofensiva a Kobane, cidade síria na fronteira com a Turquia e cuja população majoritariamente é da etnia curda, na quinta-feira. Pelo menos 120 pessoas morreram e 200 ficaram feridas. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, ONG com sede em Londres, emitiu um comunicado alertando que muitos corpos estão espalhados pelas ruas.

    O Estado Islâmico foi recentemente expulso de Kobane, cidade de alto valor estratégico tomada pelo grupo jihadista em outubro do ano passado. No ataque de quinta-feira, os extremistas chegaram à região disfarçados com uniformes da milícia curda Unidade de Proteção dos Povos (YPG) e do Exército Livre da Síria, formado por civis e desertores do Exército da Síria. 

    Tags:
    disfarce, colaboração, governo turco, massacre, curdos, acusação, apoio, ajuda, ataque, YPG, Unidade de Proteção dos Povos, Exército Livre da Síria, Partido Democrático dos Povos, Observatório Sírio dos Direitos Humanos, Estado Islâmico, Figen Yuksekdag, Kobani, Londres, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik