12:05 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Aung San Suu Kyi, Prêmio Nobel da Paz em 1991 e líder da oposição de Mianmar.

    Parlamento de Mianmar impede que Nobel da Paz concorra à presidência

    © AP Photo / Khin Maung Win
    Mundo
    URL curta
    0 32
    Nos siga no

    A vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 1991, Aung San Suu Kyi, não poderá concorrer à presidência de Mianmar. O parlamento do país vetou nesta quinta-feira (25) a emenda constitucional que permitiria a sua candidatura.

    Ela é líder do partido de oposição Liga Nacional para a Democracia (LND) e era apontada como a grande favorita. A lei de Mianmar não permite que pessoas que tenham filhos com algum estrangeiro possam disputar as eleições para o cargo. Aun San Suu Kyi, de 70 anos, é mãe de dois cidadãos britânicos.

    Filha de Aung San, considerado o pai da Birmânia, atual Mianmar, ela deveria ser a primeira-ministra do país em 1990, quando a LND venceu as eleições gerais. Mas Suu Kyi havia sido presa um ano antes e uma junta militar assumiu o governo após o pleito impedindo que os opositores tomassem posse.

    A administração da Birmânia chegou a propor que ela deixasse o país em troca da liberdade, mas a líder da LND se recusou, vivendo em prisão domiciliar até 2010. Foram seus filhos Alexander e Kim que receberam pela mãe o Prêmio Nobel da Paz. Em 2011, os militares deixaram o governo e Suu Kyi foi eleita deputada.

    Uma outra sessão no parlamento de Mianmar nesta quinta-feira reduziu de 75% para 70% o percentual de votos favoráveis para a aprovação de qualquer emenda constitucional no país. Os militares mantêm por lei 25% dos assentos na casa, o que anteriormente inviabilizava qualquer alteração sem o aval de ao menos parte do grupo.

    Tags:
    militares, junta militar, parlamento, presidência, candidatura, filhos, Prêmio Nobel, LND, Liga Nacional para a Democracia, Aung San, Aung San Suu Kyi, Birmânia, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar