12:59 17 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Building of the Parliamentary Assembly Council of Europe (PACE) in Strasbourg, France

    Deputado holandês cobra a volta da Rússia à Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa

    © Sputnik/ Vladimir Fedorenko
    Mundo
    URL curta
    0 101

    O legislador holandês do Partido da Esquerda Europeia na Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa (APCE), Tiny Kox, afirmou nesta quarta-feira (24) que seu grupo acredita que todas as sanções contra a Rússia devem ser interrompidas.

    Edward Snowden
    © REUTERS/ Glenn Greenwald/Laura Poitras/Courtesy of the Guardian/Handout via Reuters
    Ele observou que a ausência de representantes russos na organização reduz a possibilidade de se encontrar soluções para a crise na Ucrânia. Kox sublinhou que, embora seu partido veja reunificação Crimeia à Rússia como “anexação ilegal”, as negociações devem ser mantidas. “Não faz sentido falar sobre a Rússia sem russos aqui”, disse Kox, acrescentando que APCE deve trabalhar em diálogo com a Rússia e “não ser parte do problema”.

    Depois da reintegração da Crimeia à Federação Russa em 2014 e a escalada da crise interna na Ucrânia, os países ocidentais impuseram várias rodadas de sanções contra a Rússia, acusando-a de alimentar o conflito na Ucrânia. Moscou negou estas alegações sublinhando que a política de sanções é contraproducente.

    Na segunda-feira (22), a União Europeia decidiu estender as sanções contra a Rússia até 31 de janeiro de 2016. Em abril de 2014, a APCE retirou da Federação Russa os seus direitos de voto e a excluiu de posições de liderança no parlamento, citando a crise ucraniana e, em janeiro de 2015, prolongou esta decisão até o fim do ano. Rússia, por sua vez, decidiu ficar de fora das sessões até 2016.

    Tags:
    diálogo, reunificação, reintegração, sessões, direito a voto, sanções, Partido da Esquerda Europeia, Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, APCE, União Europeia, Tiny Kox, Federação Russa, Crimeia, Ucrânia, Holanda, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik