03:05 17 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0211
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta terça-feira, em Paris, que tanto a França quanto a Alemanha concordam que os acordos de Minsk ainda são a melhor alternativa para acabar com os conflitos no Leste da Ucrânia.

    Em reunião com os chefes da diplomacia dos outros países que compõem o chamado Quarteto da Normandia, o chanceler russo afirmou também que os quatro ministros já perceberam o perigo do uso da força bruta na região de Donbass e afirmou ter esperança de que o governo ucraniano seja pressionado a cumprir a sua parte no acordo e obedecer a todos os pontos do documento firmado na Bielorrússia há quatro meses. 

    "Os acordos de Minsk devem ser implementados em todas as esferas, incluindo na política", disse Lavrov, acrescentando que a estabilidade em Donbass é uma prioridade internacional.  

    Já o ministro alemão, Frank-Walter Steinmeier, disse por sua vez que, assim como a Rússia, a Alemanha, a França e a própria Ucrânia reconhecem as inúmeras violações do regime de cessar-fogo no leste ucraniano.

    Em Moscou, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, explicou que, para a Rússia, os acordos de Minsk definem claramente as etapas do processo de pacificação da Ucrânia, e a apresentação de qualquer proposta nova terá o intuito apenas de impedir a adoção completa do documento. 

    "O texto dos acordos é o nosso guia original para esse caso, e foi assinado por todos os líderes", afirmou Peskov.

    Mais:

    Moscou: posição de Kiev sobre acordos de Minsk não permite otimismo
    Putin defende acordos de Minsk como única saída para o fim da crise ucraniana
    Putin pede o fim dos bombardeios em Donbass
    Tags:
    Rússia, Ucrânia, Paris, França, Alemanha, Donbass, Minsk, Normandia, Dmitry Peskov, Sergei Lavrov, Frank-Walter Steinmeier, Quarteto da Normandia, Acordos de Minsk
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar