09:13 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Marinheiros chineses e estadunidenses estão na frente das bandeiras da China e dos EUA

    Aumento rápido da capacidade militar da China assusta os EUA

    © AP Photo / Kin Cheung
    Mundo
    URL curta
    39997

    Os Estados Unidos veem a China como uma ameaça séria para a sua superioridade militar no ar e no espaço, de modo que o Pentágono está em busca de novas tecnologias e sistemas para manter os Estados Unidos à frente de seu rival, disse o vice-secretário de Defesa dos EUA.

    O vice-secretário de Defesa, Robert Work, disse a um grupo de especialistas aeroespaciais civis e militares que a China está "fechando rapidamente os fossos tecnológicos".  Pequim está desenvolvendo armas e equipamentos de alto nível. Quando se trata de capacidade militar, a China "continua avançando a um ritmo impressionante", acrescentou Work.

    De fato, os Estados Unidos estão tão preocupados com o rápido desenvolvimento militar da China que estabeleceram um organismo especial chamado Estudos Aeroespaciais da China (China Aerospace Studies Initiative, CASI) destinado a descobrir os objetivos aeroespaciais de Pequim. 

    "Tal como o Departamento de Defesa, somos um órgão de proteção. Vemos que os chineses estão se desenvolvendo e é importante para nós a ser capazes de combatê-los", disse o vice-secretário de Defesa, Robert Work. Ele acrescentou também que nas relações entre os países há elementos de cooperação e elementos de competição. A este respeito, ele advertiu que tais interações "geralmente terminam em guerra de acordo com estudos históricos". Assim, o alto funcionário em Washington disse que seu departamento deve trabalhar para que a concorrência não termine em um confronto mais "quente".

    Graças aos recentes eventos no Mar do Sul da China e do roubo descarado de informações pessoais de milhões de trabalhadores do governo dos EUA, as tensões entre os Estados Unidos e a China são as maiores em décadas. A maioria dos americanos assume que uma guerra verdadeira entre os EUA e a China nunca poderá acontecer mas, como você verá a seguir, os chineses estão realmente gastando um monte de tempo e dinheiro se preparando precisamente para tal conflito. E é assim que as guerras normalmente acontecem — as coisas se acumulam ao longo de um período de tempo antes de finalmente chegarem a um ponto de rutura.

    Os acontecimentos no Mar do Sul da China irritaram especialmente os funcionários da administração Obama. A China diz que as ilhas são seu território soberano, mas os EUA disputam e provocam rumores de que poderá ser necessária uma guerra para defender os interesses do país nesta região.

    "Os navios chineses vão enfrentar os navios estadunidenses uma e outra vez no Mar do Sul da China", frisou comandante do navio americano "Fort Worth" recentemente confrontado com um destróier chinês nesta zona. "Eu acho que o número de confrontos vai crescer visto que nós continuamos nessas águas", disse Jarrett.

    Atualmente, o "Fort Worth" participa de exercícios militares com as Filipinas no Mar do Sul da China. O navio foi enviado para a região da Ásia-Pacífico em uma missão de 16 meses.

    Os Estados Unidos continuam provocando uma corrida armamentista em todo o mundo por falta de vontade de aceitar as posições dos outros países e para tentar manter a sua hegemonia no Mundo. 

    Mais:

    EUA, Japão e Filipinas começam exercícios no mar do Sul da China
    Banco da China entra no “grupo do ouro”
    Tags:
    corrida armamentista, Defesa, Pequim, Mar da China, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik