04:41 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    062
    Nos siga no

    Angela Merkel fez um apelo nesta quinta-feira aos países da União Europeia, reticentes em aceitar mais imigrantes.

    "É inadmissível que só cinco dos [28] membros da União Europeia acolham três quartos do número total dos refugiados", foi o que a chefe do governo alemão disse ao Bundestag (parlamento) nesta quinta-feira.

    Segundo a chanceler, a tarefa mais importante da comunidade europeia é "melhorar a qualidade das operações marítimas de resgate".

    "Esta tragédia, que se repete, afeta profundamente todos nós. Todos nós concordamos que devemos fazer tudo — realmente tudo — para salvar vidas", frisou Merkel.

    Esta declaração se dá em uma época de fortes tensões na Europa por causa das quotas de migrantes que a Comissão Europeia propôs em abril. De acordo com o plano de quotas, cada país deverá receber um lote de refugiados da Síria, Líbia e outros países afetados por conflitos.

    O plano de quotas tem uma forte rejeição entre os países europeus.

    O fluxo de migrantes tem crescido recentemente por causa de conflitos e tensão no Oriente Médio, Norte da África e outras regiões do mundo. Estes conflitos tiveram uma participação considerável externa por parte dos EUA e da própria União Europeia.

    Atualmente, a Itália e a Grécia são dois países que mais sofrem com o fluxo dos imigrantes ilegais que atravessam o Mediterrâneo de países como a Líbia.

    Mais:

    ONU divulga número recorde de refugiados, deslocados internos e asilados em 2014
    Itália estuda “plano B” para lidar com legislação europeia sobre refugiados
    Noruega receberá 8 mil refugiados sírios até 2017
    Tags:
    União Europeia, Alemanha, UE, Angela Merkel, União Europeia, Comissão Europeia, imigrantes, migração, refugiados
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar