04:28 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    FIFA

    FIFA deve defender-se dos EUA, diz conselheiro de Blatter

    © Sputnik/ Alexander Wilf
    Mundo
    URL curta
    0 695142

    A Federação Internacional de Futebol (FIFA) deve defender-se dos ataques dos norte-americanos, que nada sabem sobre futebol, acredita Klaus Stohlker, conselheiro pessoal do presidente da organização, Sepp Blatter.

    Stohlker concedeu uma entrevista ao canal televisivo russo RT na véspera da conferência de imprensa que os procuradores da Suíça realizarão em 17 de junho em conexão com a investigação do escândalo sobre a corrupção na organização de futebol.

    Ele declarou que não espera declarações sensacionalistas ou surpresas negativas, e acredita que Michael Lauber, o promotor-geral suíço, fará todo o possível para saber o que aconteceu na realidade.

    “Não tenho medo de surpresas negativas, para dizer a verdade. Quero dizer, não haverá surpresas nenhumas. É claro para todos que as Copas /a realizar/em Moscou e no Qatar foram bem preparadas. Acho que todas as acusações desaparecerão uma vez que não houve nada. Você ficará muito surpreendido com o que ouvirá amanhã de manhã."

    Ele também sublinhou que alguns membros da organização, nomeadamente os EUA, usaram em seu proveito o escândalo de corrupção contra a FIFA.

    “Finalmente, está sendo feita pressão política. Nós aqui na Suíça estamos acostumados aos americanos em nossas casas. Não só com os bancos, agora isso acontece com a FIFA. Os americanos entram pelas portas de nossas casas e agora temos que lutar para nos defender, como os bancos se defendem, temos que defender a FIFA. Há muitas discussões não só na Europa, mas nos EUA também, sobre a questão de saber se o que os americanos fizeram nos últimos meses foi realmente correto.”

    O conselheiro de Blatter comentou a possibilidade da Rússia e do Qatar organizarem as Copas do Mundo na atual situação:

    “Este ano a FIFA tem sido muito firme e muito bem sucedida. Todas as ações que a FIFA levou a cabo tiveram sucesso e continuam tendo. Agora temos pela frente Moscou 2018, que enfrenta um grande desafio, temos a guerra entre os EUA e a Rússia, entre os americanos e Putin. E agora é muito difícil, como é sabido, preparar os jogos numa situação destas.”

    “Como todos os nós sabemos muito bem, o presidente Putin confia em Blatter. Os americanos, que nada sabem sobre futebol, não confiem em Blatter. Eles só confiam em si. Por isso, Sepp Blatter deve encontrar um equilíbrio entre os interesses dos anglo-saxões e do resto do mundo”, acrescentou.

    Stohlker também opinou que a Rússia merece realizar a Copa:

    “A Rússia é um país maravilhoso, eu conheço a história russa e todas as dificuldades, e Joseph [Sepp] Blatter e os membros da FIFA acreditam no país. Esta é a razão porque eles decidiram realizar os jogos na Rússia. Tenho a certeza que Vladimir Putin e todo o seu time investirão muito, mesmo neste tempo difícil, para realizar os jogos. E o presidente Blatter disse muito bem que vamos ter jogos excelentes na Rússia […] Se os americanos bloquearem a Rússia, será difícil. É por isso que eu disse: é a guerra.”

    O escândalo em torno da FIFA estourou no final de maio, quando agentes suíços prenderam responsáveis de alto escalão da organização em Berna, pouco antes da Assembleia Geral da entidade. As prisões tiveram por base um mandato da justiça federal dos EUA, que havia iniciado uma investigação por corrupção federal. A Suíça lançou uma investigação criminal separada sobre o processo de escolha dos países-sede das próximos Mundiais, ou seja a Rússia, em 2018, e o Qatar, em 2022.

    Joseph Blatter renunciou ao cargo, mas não deixou imediatamente a presidência da FIFA, permanecendo até a escolha de seu sucessor. Ele tomou a decisão de renunciar poucos dias após a reeleição.

    Tags:
    investigação, escândalo, corrupção, entrevista, futebol, FIFA, Joseph Blatter, Qatar, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik