18:57 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    MRE da Rússia

    Colocação de mísseis dos EUA na Europa significará quebra de Tratado INF

    © Sputnik / Aleksandr Polyakov
    Mundo
    URL curta
    0 69

    A instalação de mísseis dos EUA na Europa provocaria a quebra do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), se diz no comunicado do Departamento de Imprensa e Informação do Ministério das Relações Exteriores.

    “Prestamos a atenção para declarações do Pentágono de que os militares dos EUA estão considerando as respostas possíveis às "violações" da Rússia, incluindo a instalação dos mísseis de intermediário e curto alcance, proibidos pelo INF, perto das fronteiras russas. É claro que tais ações significariam a destruição completa do Tratado INF com todas as suas consequências por lado americano“, diz-se no comunicado.

    Em 5 de junho o Departamento de Estado dos EUA publicou o relatório “Sobre acordos internacionais sobre o controle de armas, não proliferação e desarmamento durante 2014” em que novamente acusou a Rússia de descumprimento do INF.

    “Segundo o relatório, em 2014 o nosso país possuía, produzia e fazia testes dos mísseis de cruzeiro de base em terra com alcance de 500 a 5500 km e lançadores desses mísseis. Esta afirmação é completamente falsa”, disseram no ministério.

    Os representantes do MRE notam, que os EUA não conseguiram apoiar suas acusações com fatos concretos, e se referem a "fontes confiáveis", que não podem ser verificadas.

    “A impressão é que o principal objetivo da campanha de propaganda dos EUA em conexão com o INF é desacreditar a Rússia e, ao mesmo tempo, tentar desviar a atenção das ações dos EUA, que interpretam as regras do Tratado muito livremente nos casos, quando elas impedem a criação de sistemas de armas importantes para Washington”, reza o documento.

    Os diplomatas russos também têm sérias preocupações sobre os planos dos EUA da implantação na Romênia e Polônia das instalações de mísseis de lançamento vertical, que podem lançar mísseis RIM-161 (SM-3) e mísseis de cruzeiro de médio alcance Tomahawk.

    Além disso, há questões sobre o cumprimento do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP) por Estados Unidos. De acordo com o comunicado, a participação dos Estados não-nucleares da Europa no planejamento nuclear conjunto e nos exercícios com uso de armas nucleares é contrário ao espírito e à letra do TNP.

    “E única solução deste problema é o retorno de todas as armas nucleares não estratégicas no território dos EUA e renúncia dos exercícios com uso de armas nucleares não Estados que possuem tais armas”, diz-se no documento da chancelaria.

    Tags:
    mísseis, Pentágono, Ministerio das Relacoes Exteriores (Russia), Europa, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar