20:15 27 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 017
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou que os países do G7 estão dispostos a aplicar sanções adicionais contra a Rússia. A declaração foi durante uma coletiva de imprensa após a cúpula do G7 na Alemanha.

    Barack Obama e Angela Merkel em encontro com cidadãos alemães antes da cúpula do G7
    © AFP 2020 / Pool/ Matthias Schrader
    “O G7 deu a entender claramente que está pronto para realizar novas sanções contra a Rússia”, disse Obama, durante entrevista coletiva transmitida pela Casa Branca. 

    "Como já dissemos nos últimos dias, as forças russas continuam a operar no leste da Ucrânia, violando a soberania e a integridade territorial da Ucrânia. É o segundo ano consecutivo que o G7 se reúne sem a Rússia, é mais um exemplo do crescente isolamento da Rússia", disse Obama.

    Anteriormente, as autoridades ucranianas, assim como os EUA e a União Europeia, culparam Moscou repetidamente por interferir na situação na Ucrânia. A Rússia, por sua vez, nega as acusações e as classifica como inaceitáveis. Moscou tem afirmado que não é uma parte do conflito interno ucraniano e não está implicada nos acontecimentos no sudeste do país, estando interessada na superação da crise política e econômica ucraniana. 

    A cúpula do G7, formado por Alemanha, Canadá, EUA, França, Reino Unido, Itália e Japão, foi realizada nestes dias 7 e 8 de junho, no hotel Schloss Elmau, no sul da Alemanha.

    Integrante do Grupo desde 1998, a Rússia foi praticamente expulsa em 2014 devido aos acontecimentos na Ucrânia. O Ocidente acusa a Rússia de participar do conflito em Donbass, iniciado em abril do ano passado. O Kremlin, por sua vez, seguidamente negou envolvimento e afirmou que jamais forneceu armas ou soldados ao grupo independentista formado pelas autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk.

     

     

     

     

     

    Mais:

    G7: retorno em breve da Rússia é impossível, diz Merkel
    Cúpula do G7: discussões em meio a protestos de rua
    Manifestantes anti-G7 pedem cooperação Europa-Rússia, segundo o Partido Comunista Alemão
    Diretor da Lufthansa: Sanções prejudicam negócios da empresa na Rússia
    Casa Branca: sanções antirrussas continuarão apesar de consequências à economia da UE
    Tags:
    G7, Barack Obama, Alemanha, EUA, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar