23:12 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia em foco da política internacional (289)
    0 424
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que o conflito na Ucrânia só pode ser resolvido de forma pacífica se a integridade e a soberania territoriais do país forem garantidas.

    Barack Obama e Angela Merkel em encontro com cidadãos alemães antes da cúpula do G7
    © AFP 2021 / Pool/ Matthias Schrader
    O conflito na Ucrânia só pode pode ser resolvido de forma pacífica se a integridade e a soberania territoriais do país forem garantidas, disse o Presidente Barack Obama neste domingo.

    A cúpula do G7, formado por Alemanha, Canadá, EUA, França, Reino Unido, Itália e Japão, foi iniciada neste domingo, no hotel Schloss Elmau, no sul da Alemanha. Obama tinha agendada uma conversa com o primeiro-ministro britânico David Cameron em um dos intervalos do encontro.

    “Acreditamos que pode haver uma solução pacífica e diplomática para esse problema, mas exigirá que a Europa, os Estados Unidos e a Parceria Transatlântica, bem como o mundo, continue vigilante e concentrado na importância de da manutenção dos princípios de soberania e integridade territorial”, disse Obama antes de encontrar-se com Cameron, informou o serviço de imprensa da Casa Branca.

    O presidente dos EUA afirmou ainda que o Ocidente deve manter as sanções antirrussas para pressionar Moscou e os grupos independentistas no leste da Ucrânia a implementarem plenamente os Acordos de Minsk.

    O conflito ucraniano começou em abril de 2014, quando Kiev lançou uma campanha militar para abafar as manifestações de Donbass, que se recusava a reconhecer um governo imposto por um golpe de estado. Os EUA, a União Europeia e vários outros países acusaram a Rússia de inflamar o conflito e, por isso, impuseram sanções.

    Moscou sempre negou as acusações e tomou parte ativa em esforços internacionais para encontrar uma solução no conflito.

    Tema:
    Ucrânia em foco da política internacional (289)

    Mais:

    Kiev informa ter perdido mais 1.700 militares em Donbass
    G7: retorno em breve da Rússia é impossível, diz Merkel
    Casa Branca: sanções antirrussas continuarão apesar de consequências à economia da UE
    Especialista: EUA realizam mais uma vez "cenário de Vietnã" na Ucrânia
    Obama e Merkel são unânimes na questão das sanções contra a Rússia
    Kiev volta a concentrar armamentos na linha de frente na véspera da cúpula do G7
    Chanceler britânico: não existe ameaça de ataque russo à Ucrânia
    Cúpula do G7: discussões em meio a protestos de rua
    Tags:
    conflito armado, Cúpula do G7, G7, Barack Obama, Donbass, Ucrânia, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar