11:55 18 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Protestos contra o governo na Macedônia

    UE pede eleições antecipadas e “acordo final” para resolver crise na Macedônia

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    0 08

    O Comissário para Política Regional da União Europeia, Johannes Hahn, propôs à Macedônia realizar eleições antecipadas supervisionadas por Bruxelas, em um esforço para resolver a profunda crise política entre o governo e a oposição do país balcânico em relação às denúncias de vigilância em massa e fraude eleitoral.

    Depois de um encontro com o primeiro-ministro macedônio Nikola Gruevski, o comissário europeu disse em declaração à imprensa que foi acordado realizar eleições antecipadas até o final de abril do próximo ano, mas ressaltou que “é importante preparar o país”. Sobre tal necessidade, segundo Hahn, é preciso solidificar os códigos eleitorais, revisar a lista de eleitores e respeitar os direitos das minorias.

     "Além disso, será importante aceitar todas as recomendações que estão sendo dadas pela Comissão Europeia no que se refere à independência do poder judicial”, acrescentou.

    Gruevski foi atingido por uma série de acusações contra ele e seus ministros após a publicação de conversas gravadas que parecem expor o rígido controle do governo sobre os jornalistas e juízes, bem como sobre a realização de eleições.

    Um manifestante empunha o pequeno cartaz com uma foto de premeiro-ministro macedônio Nikola Gruevski durante o protesto antigovernamental no centro de Skopje no 17 de maio de 2015. Mais de 20.000 pessoas se reuniram na capital da Macedónia para exigir a renúncia do governo do primeiro-ministro Nikola Gruevski, que é responsavel pela crise política profunda e um surto de violência no país.
    © AFP 2019 / Dimitar Dilkoff
    A oposição também acusa Gruevski de orquestrar a vigilância de mais de 20 mil pessoas e exige a sua demissão. O premiê, por sua vez, alega que as gravações de áudio indicando fraude eleitoral e abuso do sistema de justiça foram "criadas" por serviços de inteligência estrangeiros. Sem citar nomes, ele afirma que tais agentes distribuíram as fitas aos partidos da oposição a partir de fevereiro, em um esforço para desestabilizar a Macedônia.

    Segundo Hahn, novas negociações serão realizadas em Bruxelas na próxima semana a fim de se chegar a um "acordo final, que permita ao país seguir em frente e usar a crise atual como uma oportunidade para modernizar a nação, levá-la para o futuro".

    Enquanto isso, continuam aumentando os protestos pela demissão de Gruevski. Manifestantes armaram dezenas de barracas na frente do escritório do primeiro-ministro e afirmam que vão permanecer acampados até que ele renuncie.

    Mais:

    Terroristas atacam Macedônia sem motivo aparente
    Moscou: UE começa ‘caça às bruxas’ contra diplomatas russos
    Conselho Europeu: "Parceria Oriental" não significa caminho automático para UE
    Tags:
    corrupção, vigilância, fraude, eleições, Johannes Hahn, Nikola Gruevski, União Europeia, Macedônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar