15:44 15 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 281
    Nos siga no

    O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse nesta quinta-feira que a Rússia e os Emirados Árabes Unidos vão aumentar a cooperação na luta contra o terrorismo no Oriente Médio, região abalada pela crescente ameaça imposta pelo Estado Islâmico.

    "Os atos do chamado Estado Islâmico são um desafio real para a estabilidade e a segurança no Oriente Médio e no Norte da África", destacou Lavrov durante entrevista coletiva ao lado do chanceler árabe Abdullah Bin Zayed Al Nahyan. A fim de combatê-lo, "Rússia e Emirados Árabes unirão forças no domínio antiterrorista sob o formato bilateral e também internacional", completou. 

    Conhecido por métodos brutais e espetaculares, que incluem até decapitações, o grupo extremista sunita Estado Islâmico continua conquistando importantes vitórias e expandindo territórios na Síria e no Iraque, apesar dos nove meses de bombardeios da coalizão militar liderada pelos Estados Unidos. Recentemente, a própria Casa Branca reconheceu que a operação americana e de seus aliados para eliminar a organização terrorista no Oriente Médio estava perto de um impasse e que o problema não poderá ser resolvido pela administração de Barack Obama. 

    Na última quarta-feira, o embaixador da Síria em Moscou, Riad Haddad, chamou a atenção para a necessidade de se formar uma nova coalizão internacional apoiada pela Rússia para combater o Estado Islâmico. Segundo ele, as autoridades sírias já estariam organizando uma nova reunião na capital russa para discutir o problema. 

    Para a chancelaria russa, as ações norte-americanas contra o EI ainda não produziram os resultados desejáveis por conta dos duplos padrões utilizados por Washington, que permitem aos terroristas agir de maneira mais organizada e "não hesitar em perpetrar os crimes mais hediondos na realização do seu objetivo, a criação de um califado transfronteiriço em um vasto território de Damasco a Bagdá", segundo comunicado oficial. 

    Mais:

    Netanyahu diz que o Irã pode ser mais perigoso do que o Estado Islâmico
    Estado Islâmico ofende Michelle Obama
    Força Aérea síria tenta recuperar Palmira das mãos do Estado Islâmico
    Luta contra EI chegou a um impasse?
    Tags:
    terrorismo, Estado Islâmico, Abdullah Bin Zayed Al Nahyan, Riad Haddad, Sergei Lavrov, Barack Obama, Damasco, Emirados Árabes Unidos, Bagdá, Iraque, Síria, Moscou, EUA, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar