06:02 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Timo Soini

    Governo da Finlândia opta por mais cautela com União Europeia

    © AFP 2019 / ANTTI AIMO-KOIVISTO / LEHTIKUVA
    Mundo
    URL curta
    0 101
    Nos siga no

    A Finlândia está se definindo como um Estado manifestamente eurocético.

    Na quarta-feira, o presidente do Partido dos Verdadeiros Finlandeses, Timo Soini, foi nomeado para o cargo de ministro das Relações Exteriores.

    A nomeação resultou inesperada para muitos, já que o partido de Soini não é muito "europeu". Os "Verdadeiros Finlandeses" partilham a tendência nacionalista e pretendem reduzir o fluxo de imigrantes.

    A mídia reservava a pasta do Exterior para o ex-premiê, Alexander Stubb, líder do partido Coalizão Nacional. Supunha-se que Soini iria cuidar das Finanças.

    Mas o novo primeiro-ministro da Finlândia, Juha Sipilaa, comentou, durante a entrevista coletiva do governo na quarta-feira, que a distribuição atual das pastas corresponde aos interesses dos líderes dos partidos. As Relações Exteriores "é algo que Soini realmente tem vontade de fazer", disse o premiê.

    Observadores locais divergem nas suas opiniões: há quem diga que Timo Soini fugiu de um cargo "mais duro" (o das Finanças, setor que enfrenta austeridade), e há quem diga que a Finlândia terá um bom futuro, graças ao "caráter tranquilo" do novo chanceler.

    De verdade, o discurso de Soini na coletiva não revelou nenhuma mudança drástica na política externa do país. Ele não postula a saída imediata da União Europeia, mas quer uma reforma que "motive" a Finlândia a continuar participando.

    O novo ministro destacou também a necessidade de construir e manter boas relações com a Rússia, país que qualificou de "vizinho importante".

    Além disso, Soini comentou que o país iria continuar mantendo relações com a OTAN e a cooperação militar com os países do Norte da Europa.

    Bandeira da UE e Finlândia
    © AFP 2019 / PEKKA SAKKI / LEHTIKUVA / AFP
    Contudo, tendo em conta o caráter "tranquilo" de Soini, isso não significa fortalecimento dos laços militares com o Ocidente. O país pode, muito pelo contrário, seguir defendendo a "linha Paasikivi-Kekkonen" de não-alinhamento.

    Além de Timo Soini, um outro membro do seu partido tornou-se membro do governo. É Jussi Niinisto, que será o novo ministro da Defesa.

    O Gabinete finlandês está se tornando mais eurocético. Na sexta-feira, haverá outra discussão no governo sobre os pormenores do trabalho dos novos ministros. Então, será possível compreender o rumo da política externa e interna da Finlândia.

    Tags:
    União Europeia, Timo Soini, Juha Sipilä, Finlândia, UE, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar