06:15 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Veículo especial de combate a incêndio SPM.

    Rússia usa tanques para construir veículo robótico de combate a incêndios

    Wikipedia / Vitaly Kuzmin
    Mundo
    URL curta
    0 151

    O ministro adjunto da Defesa russo, Dmitry Bulgakov, afirmou à RIA Novosti que as Forças Armadas do país receberam um novo veículo robótico de combate a incêndios. O blindado foi baseado em uma plataforma dos tanques de guerra T-72 e T-80 e será posto à prova durante exercícios militares na região de Novgorod a partir de 27 de maio.

    “O veículo de combate a incêndios foi construído na fábrica de máquinas de transporte na cidade de Omsk a mando do Ministério da Defesa russo. Foi colocado em serviço com o exército russo no início de maio e começará a ser entregue às tropas no final deste ano”, anunciou Bulgakov.

    Ele acrescentou que, embora o veículo seja concebido para combater incêndios e operações de resgate em depósitos de armas, ele também é capaz de atuar em incêndios florestais. Segundo o ministro adjunto, os jatos de água podem atingir 100 metros. O veículo está equipado com um sistema de controle remoto que oferece a máxima segurança para as pessoas envolvidas no combate a incêndios em condições particularmente difíceis e perigosas.

    “No caso de uma ameaça à vida dos membros da tripulação, eles podem sair do veículo e continuar desempenhando a sua tarefa através de um sistema de controle remoto”, explicou Bulgakov.

    O veículo também possui telas de proteção de fragmentos com armaduras removíveis, que, juntamente com uma cabine blindada, protege a tripulação e o equipamento de destroços após explosões.

    A tripulação de três pessoas do veículo de 60 toneladas está protegida contra o calor e a capacidade de água é de 25 metros cúbicos. Além disso, é equipado com escavadeira para obter acesso à área de fogo.

    Tags:
    veículo robô, combate, bombeiros, tanques, incêndio, Ministério da Defesa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik