09:47 15 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Barack Obama, Matteo Renzi, Stephen Harper; David Cameron; Jose Manuel Barroso; Francois Hollande; Shinzo Abe em reunião do G7

    G7 discutirá sanções contra a Rússia em junho

    © AP Photo / Charles Dharapak
    Mundo
    URL curta
    Guerra de sanções entre Rússia e Ocidente (177)
    0 216
    Nos siga no

    O secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest, afirmou que as sanções existentes contra a Rússia farão parte das discussões do Grupo dos Sete (G7) na Alemanha, nos dias 7 e 8 de junho.

    "Estou confiante no fato de que as sanções serão assunto de contínuas conversas quando o Presidente Barack Obama viajar à Alemanha para o encontro do G7, no começo do mês que vem", disse Earnest.

    O secretário afirmou que os Estados Unidos e seus parceiros europeus são firmes quanto às sanções impostas à Rússia pela suposta participação na crise ucraniana. Earnest alegou que as medidas vêm causando prejuízos econômicos do governo russo.

    Nesta segunda-feira, no entanto, a empresa de consultoria americana Claret Consulting afirmou à Sputnik que a economia russa está respondendo positivamente às sanções impostas pelo Ocidente à medida em que empresas russas continuam se abrindo a novas oportunidades comerciais.

    O G7 é composto por Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Japão, Canadá e EUA. A participação da Rússia no grupo foi suspensa em março de 2014 por causa do suposto envolvimento no conflito do este da Ucrânia. Moscou negou participação seguidas vezes e continua a fazê-lo.

    Tema:
    Guerra de sanções entre Rússia e Ocidente (177)

    Mais:

    Premiê da Bulgária defende o fim das sanções contra a Rússia
    Sanções ocidentais serviram de incentivo para a economia russa, diz legisladora
    Mídia alemã: Sanções contra a Rússia prejudicam a Alemanha
    Opinião: sanções não conseguiram destruir economia russa
    Tags:
    conversa, sanções, reunião, Casa Branca, G7, Josh Earnest, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar