00:22 01 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    131
    Nos siga no

    Ali Akbar Velayati, conselheiro do supremo líder iraniano, aiatolá Ali Khamenei, refutou as acusações de que tenha sido o mentor do atentado terrorista à Associação Mutual Israelita Argentina, em 1994. No ataque, morreram 85 pessoas, 300 ficaram feridas.

    Ele era ministro das Relações Exteriores do Irã na época e por isso concedeu entrevista à emissora argentina C5N. Velayati afirmou que é inocente e também descartou qualquer culpa do Irã. “Essa é uma acusação sem base, falsa, mentirosa. A Argentina está influenciada pelo sionismo e pelos EUA.” O ex-chanceler iraniano também descartou testemunhar em um tribunal do país sul-americano. “Não vejo motivo para uma autoridade do Irã responder a outra nação.”

    A Argentina e a República Islâmica acordaram a criação de uma comissão para investigar o caso em 2013. A iniciativa, porém, embora aprovada pelo Congresso argentino, foi considerada inconstitucional por dois tribunais do país. A Presidente Cristina Kirchner chegou a ser acusada pelo promotor Alberto Nisman de ajudar a acobertar os nomes dos oficiais iranianos responsáveis pelo ataque. No entanto, a chefe de Estado foi retirada do caso.

    Alberto Nisman foi encontrado morto dias após a acusação.

    Tags:
    1994, participação, atentado, centro judaico, Associação Mutual Israelita, Ali Akbar Velayati, Aiatolá Ali Khamenei, Cristina Kirchner, Irã, Argentina, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar