22:51 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Ministério das Relações Exteriores da Rússia

    Ações dos EUA podem levar Rússia a reforçar potencial nuclear

    © AFP 2017/ ALEXANDER NEMENOV
    Mundo
    URL curta
    0 5834645

    Os participantes da conferência sobre o Tratado de Não Proliferação das Armas Nucleares, que decorre em Nova York, falham em chegar a um acordo final, declarou aos jornalistas Mikhail Ulyanov, chefe do departamento para questões de não proliferação e controle de armamentos do Ministério das Relações Exteriores russo.

    Mikhail Ulyanov declarou que as tendências negativas que minam a estabilidade estratégica estão ganhando popularidade no mundo:

    “No mundo estão ganhando força tendências negativas que minam a estabilidade estratégica e, portanto, as perspetivas para o desarmamento nuclear. E todos os fatores negativos não vêm de nós. Eles vêm dos Estados Unidos.”

    Como exemplo dos fatores negativos ele referiu as ações dos EUA na área da defesa antimíssil Prompt Global Strike, o recuso de negociar a proibição da instalação de armas no espaço bem como ratificação do Tratado para a Proibição Completa dos Testes Nucleares. Ele também recordou "o sério desequilíbrio de armas convencionais existente na Europa."

    O diplomata russo comentou a possibilidade de reforçar o potencial nuclear russo:

    “Para nós as ações dos EUA criam fatores contraditórios que, dadas certas circunstâncias, poderão levar ao reforço (do potencial nuclear – Ed.). Pelo menos, não podemos excluir essa possibilidade. Mas nós ainda não planejamos fazer isso."

    Ele notou que desde a última conferência em 2010 o número de ogivas nucleares na Rússia diminuiu mais de metade, de quase 4 mil até um pouco mais de 1,5 mil:

    “Cinco anos depois, temos 1.582 unidades. O corte é duas vezes e meia.”

    Em 2010, a Rússia e os Estados Unidos assinaram o Tratado de Redução de Armas Estratégicas (START-III), que determinou a redução do número de armas nucleares estratégicas para níveis só vistos na primeira década da era nuclear.

    Segundo Ulyanov, o processo de redução das armas estratégicas existentes deve terminar em 5 de fevereiro de 2018.

    Tags:
    acordo nuclear, opinião, Ministério das Relações Exteriores, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik