03:26 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Quarteto da Normandia: Vladimir Putin, Angela Merkel, Francois Hollande, e Pyotr Poroshenko.

    Donetsk critica a intenção dos EUA de se unir ao Quarteto da Normandia

    © AP Photo / Alexander Zemlianichenko
    Mundo
    URL curta
    1273

    O líder do Parlamento da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD), Andrei Purguín, afirmou que a avidez dos EUA em expandir sua participação na aplicação dos acordos de Minsk constitui uma ingerência em assuntos alheios.

    Segundo Purguín, tal comportamento prova que Washington manifesta sua presença e seu interesse bem como reconhece sua influência sobre os políticos ucranianos.

    "É uma interferência impertinente dos EUA nos assuntos alheios", destacou.

    Anteriormente a subsecretária de Estado para a Europa e Eurásia, Victoria Nuland, disse que os EUA buscam ampliar sua participação na aplicação dos acordos de Minsk em conjunto com a UE e os países do "formato da Normandia" (Rússia, Alemanha, França e Ucrânia).

    A solução para a situação em Donbass é debatida em diversos formatos, incluindo as reuniões do Grupo de Contato (composto por Rússia, Ucrânia e OSCE) em Minsk desde setembro de 2014,onde foram aprovados três documentos que determinam as medidas para neutralizar o conflito.

    O documento final de 12 de fevereiro estabelece, nomeadamente, o cessar-fogo, a retirada das armas pesadas e a criação de uma zona de segurança. No entanto nem todos os pontos estão sendo plenamente cumpridos, especialmente o que trata da trégua.

    As partes do conflito seguem trocando acusações a de terem infringido.

    Mais:

    OTAN exorta Ucrânia a cumprir Acordos de Minsk
    Kremlin refuta acusações de Poroshenko sobre tropas russas na Ucrânia
    Donbass propõe proibir constitucionalmente entrada da Ucrânia na OTAN
    Rússia e EUA concordam: só acordo político soluciona crise na Ucrânia
    Tags:
    Quarteto da Normandia, EUA, interferência, Quarteto da Normandia, Andrei Purgin, Donbass, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik