10:51 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 329
    Nos siga no

    O chefe da Promotoria do Povo da Venezuela, o Promotor Tarek William Saab, acusou ontem o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso e o Senador Aécio Neves de estarem se intrometendo nos assuntos internos venezuelanos, “dando apoio a grupos extremistas responsáveis pela morte de mais de 40 pessoas”.

    Em entrevista à “Carta Maior”, Saab reagiu ao que chamou de “conspiração contra os esforços pelo diálogo realizados pelo Governo de Nicolás Maduro”, referindo-se ao fato de os dois políticos de oposição brasileiros terem recebido Lilian Tintori de López, mulher do líder de oposição Leopoldo López, e Mitzy Capriles de Ledesma, esposa do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, ambos presos na Venezuela.

    O professor de Relações Internacionais e especialista em políticas latino-americanas, estudioso das questões venezuelanas, Rafael Araújo, explicou à Sputnik que López e Ledesma são duas figuras centrais da oposição ao Chavismo, e que na Venezuela “há uma oposição de viés mais democrático, e outra, mais vinculada à possibilidade de golpes de Estado”. Segundo o Professor Araújo, “na Venezuela da atualidade a possibilidade de golpe se vincula ao grupo capitaneado por Leopoldo López. Não podemos ignorar que ele foi um dos líderes dos distúrbios ocorridos em abril do ano passado, após a eleição de Nicolás Maduro, quando morreram 45 venezuelanos”.

    Sobre o anúncio de que Fernando Henrique Cardoso poderia juntar-se ao chamado Clube de Madri, o Promotor-Chefe Saab usou palavras duras para classificar o grupo como “cartel integrado por assassinos, processados por crimes contra os direitos humanos”. E disse que “quem realmente lidera o Clube é Barack Obama”. Segundo Saab disse em sua entrevista à “Carta Maior”, “há 15 anos, os Estados Unidos estão por trás das conspirações para desestabilizar o governo progressista da Venezuela”. 

    Na mesma entrevista, Tarek William Saab elogiou a Presidenta Dilma Rousseff por sua contribuição para a harmonia da Venezuela, “através de suas participações na Unasul, no Celac, em seus pronunciamentos contra a decisão de Obama de declarar a Venezuela uma ameaça”. 

    Sobre as prisões do líder da oposição Leopoldo López e do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, o promotor afirmou que estes dois políticos estão sendo processados por tribunais penais, completamente autônomos do poder político, e que, “no caso de López, a acusação é de autoria intelectual de uma investida iniciada no começo de 2014 em que houve 43 mortos”. 

    Ao ser perguntado sobre a postura da rede de televisão americana CNN contra o Governo da Venezuela, Saab preferiu falar em termos genéricos, dizendo que “o golpe de Estado contra o Presidente Hugo Chávez, em 2002, foi comandado pelos canais de televisão privados”.

    Em seu comentário feito com exclusividade para a Sputnik sobre a entrevista concedida por Tarek William Saab, o Professor Rafael Araújo afirmou que, embora legítimo, “o apoio de Fernando Henrique Cardoso surpreende por ele ter se colocado ao lado de Chávez quando o presidente venezuelano sofreu o golpe em 2002”.

    Mais:

    Dilma critica EUA por embargo a Cuba e sanções contra Venezuela
    Prefeito de Caracas é acusado formalmente por conspiração contra governo da Venezuela
    Diplomata russo: EUA usam as mesmas táticas na Venezuela que na Ucrânia
    Tags:
    Dilma Rousseff, Tarek William Saab, Leopoldo López, Antonio Ledezma, Nicolás Maduro, Brasil, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar