12:51 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Sobreviventes de um naufrágio no Mediterrâneo.

    Comissário da ONU: Europa deve estabilizar Oriente Médio para conter fluxo de imigrantes

    © AP Photo/ Carmelo Imbesi
    Mundo
    URL curta
    0 37442

    Os lideres europeus devem voltar os seus esforços para a redução da instabilidade no Oriente Médio se querem conter o fluxo de imigrantes que se dirigem à Europa atravessando o Mediterrâneo. A declaração é do comissário-geral da agência da ONU para refugiados da Palestina (UNRWA), Pierre Krähenbühl, em visita ao Brasil.

    Em entrevista à Folha, Krähenbühl conectou os conflitos na Síria com o grande fluxo de imigração para a Europa. "Esses elementos estão interligados, e acho que, da perspectiva europeia, precisa ser feito mais para ajudar a estabilizar o Oriente Médio, porque, no fim das contas, é uma questão de segurança da Europa", disse. 

    Segundo a Organização Internacional para a Migração (OIM), 36% dos 116 mil imigrantes que chegaram à Itália pelo mar em 2014 foram sírios fugindo da guerra em seu país. 

    Em meados de março, cerca de 900 imigrantes morreram em um naufrágio atravessando o Mediterrâneo rumo à Europa. Desde o início do ano, cerca de 2.000 pessoas já morreram se deslocando pela costa da Itália e Líbia. A Organização Internacional para as Migrações alerta que este número pode chegar a 30 mil até o final de 2015. 

    O comentário do comissário-geral UNRWA traz à luz uma importante reflexão: o Ocidente quer resolver o problema dos imigrantes ilegais, cujo fluxo resulta em constantes tragédias devido ao risco das travessias. No entanto, segundo a análise do comissário da ONU, a causa para tais tragédias reside na instabilidade do Oriente Médio. 

    Vale notar que são justamente as lideranças europeias que intervieram em países no Oriente Médio, em particular na Líbia, no apoio à derrubada do governo de Muammar al-Gaddafi em 2011. Na Síria, o apoio do Ocidente às forças de oposição no país para derrubar o presidente Bashar Assad levou à emergência do Estado Islâmico, considerado o grupo terrorista de maior ameaça à segurança internacional. 

    Até os dias de hoje a situação política interna nestes países é instável e gera grandes deslocamentos arriscados de pessoas que buscam imigrar para a Europa. Agora, a Europa não sabe resolver a situação das constantes tragédias que envolvem as travessias arriscadas pelo Mediterrâneo.     


    Mais:

    China e Rússia anunciam exercícios conjuntos no Mediterrâneo
    Sobreviventes relatam mais uma tragédia no Mar Mediterrâneo
    Rússia e China farão exercícios navais no mar Mediterrâneo
    Naufrágio no Mediterrâneo: a tragédia podia ter sido evitada?
    Tags:
    naufrágio, imigrantes, Mar Mediterrâneo, Líbia, Itália, Síria, Ocidente
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik