06:19 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Vista geral do porto Imam Khomeini, ao sul de Teerã, no Irã, em 18 de maio de 2008

    Acordo com Irã abre caminho para corredor Índia-Rússia

    © AP Photo/ Hasan Sarbakhshian
    Mundo
    URL curta
    0 2001372

    O novo memorando de portos assinado por Índia e Irã nesta quarta-feira abre a região para negócios e cooperação, diz especialista à Sputnik.

    O novo acordo do porto de Chabahar entre Índia e Irã tornará a região um centro de atividade econômica que dará à Índia acesso econômico a Rússia, Ásia Central, Irã e Afeganistão, avalia o analista iraniano e vice-presidente do Centro de Pesquisa do Irã e da Eurásia (IRAS), Mandana Tishyar.

    Índia e Irã assinaram um memorando de entendimento que permitirá a construção de um porto no Irã. O acordo aconteceu apesar de alertas dos Estados Unidos contra negócios com o Irã antes que seja assinado o acordo final sobre o programa nuclear do país — o que deve acontecer até o dia 30 de junho.

    "O memorando foi assinado por dois países, e não por duas empresas privadas, então o projeto será concluído. O projeto e o desenvolvimento desse porto não estão na lista de sanções impostas pelo Ocidente ao Irã", disse Tishyar.

    De acordo com o especialista, o porto beneficiará não só o Irã, mas a região inteira como parte de um corredor de transporte "norte-sul" entre Rússia, Índia e Irã. "O desenvolvimento do porto de Chabahar pode ajudar muito no fortalecimento de nossos países e no desenvolvimento de parcerias estratégicas de negócios", completou Tishyar.

    A Índia planeja investir US$ 85 milhões na construção do novo porto do Irã.

    Mais:

    Mídias ocidentais usam terremoto para indispor Nepal e Índia
    Lobby militar dos EUA na Índia tenta reduzir força de parceria com a Rússia
    Marinha da Índia lança primeiro destróier com tecnologia stealth
    Irã pode se juntar a Rússia, Índia e China contra planos expansionistas da OTAN
    Tags:
    parceria, economia, acordo, porto, Irã, Índia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik