10:10 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    O Presidente Barack Obama, dos EUA, conversa com o primeiro ministro indiano Narendra Modi

    Lobby militar dos EUA na Índia tenta reduzir força de parceria com a Rússia

    © AP Photo/ Saurabh Das
    Mundo
    URL curta
    BRICS: organização do futuro (189)
    12392929

    A colaboração entre Rússia e Índia aparentemente vem se tornando incômoda para os Estados Unidos, e Washington tenta incrementar suas relações no setor de defesa com o governo indiano.

    A expectativa é de que, durante a próxima visita à Índia, o secretário americano de Defesa, Ashton Carter, ofereça a Nova Deli uma nova aeronave tática feita nos EUA e um contrato bilateral com duração de dez anos para o setor de defesa, diz o especialista em relações militares, Franz-Stefan Gady.

    "Estamos buscando fazer mais em termos de exercícios militares e treinamento conjunto com nossos colegas indianos", disse o embaixador dos Estados Unidos na Índia, Richard Rahul Verna, segundo o especialista.

    A estratégia americana pode ser considerada como uma resposta à maior cooperação entre os países do grupo BRICS (Brasil, China, Índia, China e África do Sul). De fato, Moscou e Nova Deli vem aos poucos aumentando seus laços no campo militar ao longo dos anos. O Kremlin já afirmou seguidas vezes que valoriza sua "parceria estratégica privilegiada" com a Índia e expressou confiança na possibilidade de ambos países aumentarem suas relações econômicas e políticas.

    De acordo com o Serviço Federal Russo para Cooperação Militar-tecnológica (FSMTC), em 2014, Nova Deli foi a maior compradora de armas russas, adquirindo o equivalente a US$ 4,7 bilhões em armas e equipamentos militares.

    Além disso, projetos militares conjuntos de Rússia e China incluem a fabricação de uma quinta geração de aeronaves de combate, tanques T90, sistemas Smerch de lançamento múltiplos de foguetes e mísseis supersônicos Brahmos.

    O grupo BRICS, apoiado pela experiência e poder militares da Rússia, vem crescendo como ator global autossuficiente — não apenas uma aliança econômica.

    Crispin Rovere, especialista australiano em relações na região Ásia-Pacifico, sugere que "no longo prazo, uma coalizão anti-EUA formada por China, Rússia e Índia não pode ser descartada."

    Ao tentar fortalecer as ligações com a Índia, os Estados Unidos aparentemente tentam uma jogada dupla: enfraquecer o sucesso diplomático de Moscou na Ásia e intensificar as contradições entre Nova Deli e Pequim.

    Entretanto, de acordo com Crispin Rovere, a estratégia não parece rumar para o sucesso: embora existam certos atritos entre China e Índia, uma competição entre os dois países "certamente não seria nada comparado à competição que existe entre a China e os Estados Unidos."

    Por outro lado, a Rússia continua como "único parceiro estratégico" da Índia, enquanto os três países — Rússia, Índia e China —  "têm uma grande preferência por uma ordem mundial multipolar e a diluição da hegemonia americana."

    Tema:
    BRICS: organização do futuro (189)

    Mais:

    Pelotão cerimonial da Índia participará no Dia da Vitória em Moscou
    Fundo de reservas do BRICS é escudo contra ataques especulativos
    Parlamento brasileiro espera para maio aprovação do Fundo de Reservas do BRICS
    Rússia fará proposta para criar estação espacial conjunta dos BRICS
    Ministro: Banco dos BRICS começará a funcionar até julho
    Tags:
    Defesa, militar, economia, parceria, BRICS, EUA, China, Índia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik