22:30 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Um policial está perto do veículo dos suspeitos após um tiroteio perto da exibição de caricaturas do profeta Maomé e concurso organizado pela Iniciativa de Defesa da Liberdade Americana em Garland, Texas.

    Mídia: Estado Islâmico reivindicou atentado nos EUA

    © REUTERS/ Mike Stone
    Mundo
    URL curta
    0 88713

    O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou o atentado no concurso e exposição de caricaturas sobre o profeta Maomé, que aconteceu no domingo, 3 de maio, na cidade norte-americana de Garland, estado do Texas.

    A declaração a este respeito foi feita pela emissora RFI citando a organização SITE, que monitora a atividade extremista na Internet.

    Segundo a SITE, um dos dois homens fiéis às ideias do grupo terrorista que organizaram o ataque fez a declaração respetiva na sua página da rede social Twitter.  A informação ainda não foi confirmada oficialmente.

    O ataque terrorista contra a exposição de caricaturas foi feito na noite de 3 de maio (aproximadamente às 21:00, horário de Brasil). De acordo com a informação disponível, os dois homens atearam um incêndio no estacionamento do centro de exposições. Como resultado, um guarda de segurança ficou ferido. A polícia chegou à cena do crime quase imediatamente e eliminou os atacantes.

    O porta-voz policial Joe Harn disse que o evento era assistido por cerca de 200 pessoas, mas só 75 foram evacuadas do prédio.

    A exposição de caricaturas do profeta Maomé foi organizada pela organização Iniciativa de Defesa da Liberdade Americana (AFDI na sigla em inglês).

    O vencedor do concurso receberia um prêmio de 10 mil dólares, e pela vitória na categoria "Prémio do Público" poderia ganhar 2,5 mil dólares.

    No início de janeiro de 2015 radicais atacaram a redação do jornal satírico Charlie Hebdo que publicou caricaturas sobre o profeta Maomé. O atentado levou 17 vidas.

    Segundo a mídia norte-americana, os hackers do grupo internacional Anonymous advertiram a vários dias antes a polícia de Garland da eminência de um ataque.

    Segundo a publicação The Daily Dot, um dos membros de Anonymous dirigiu a mensagem à polícia de Garland via Twitter, mas ninguém prestou atenção nela.

    A revista britânica The Daily Mail nota que o porta-voz da polícia da cidade, Joe Hard, declarou não ter conhecimento da mensagem do Twitter.

    Segundo ele, o FBI estava monitorando as informações sobre a exposição de caricaturas, mas os agentes do FBI nada notaram que parecesse suspeito.

    Mais cedo se tornou público o fato de que um dos atacantes já fora objeto de investigação contraterrorista. A informação foi divulgada pelo canal norte-americano de ABC citando um alto funcionário de FBI.

    Segundo ele, o nome do primeiro atacante é Elton Simpson, nascido no estado de Arizona. O FBI indica que antes do atentado ele publicou várias mensagens no Twitter exigindo atacar os participantes da exposição.

    Simpson tornou-se alvo da atenção de FBI desde julho de 2007 quando ele mostrou intenção de se juntar com terroristas. Em 2010 o tribunal decidiu que o FBI não provou as intenções de Simpson, e condenou Simpson a três anos de prova – Simpson declarou que queria ir à África, mas na realidade foi para o Oriente Médio. Após ser condenado, ele foi incluído na lista negra de companhias aéreas norte-americanas.

    Tags:
    concurso, atentado, ataque, terrorismo, Estado Islâmico, Maomé, Garland, Texas, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik