11:00 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 26
    Nos siga no

    Residentes da cidade americana de Baltimore, em Maryland, festejaram nesta sexta-feira (1) o anúncio de que seis policiais foram indiciados por violência voluntária e pelo assassinato do jovem negro Freddie Gray, vítima de uma fratura na coluna vertebral após ser detido, por porte de canivete, em meados deste mês.

    Ao comunicar sobre a decisão da justiça, a procuradora da cidade, Marilyn Mosby, disse que Gray, que faleceu no hospital há duas semanas, foi ferido em algum momento entre sua prisão e sua chegada à delegacia, e que, no meio desse trajeto, ele solicitou assistência médica por várias vezes, em vão. 

    O caso provocou revolta entre os moradores de Baltimore e de várias partes dos Estados Unidos nos últimos dias. Na cidade onde o rapaz foi morto, os protestos contra a polícia tomaram grandes proporções, sendo reprimidos com violência. Tentando controlar a situação, a prefeitura instaurou um toque de recolher no município, e as autoridades decidiram utilizar gases de pimenta e lacrimogêneo contra a população.

    No entanto, nesta manhã, a notícia que veio dos tribunais parece ter devolvido certa tranquilidade aos habitantes da região. As agitações mais significativas pelas ruas da cidade nesta sexta-feira foram de pessoas satisfeitas com o comunicado da promotoria.

    Todos os acusados, segundo a mídia americana, foram suspensos e detidos. Mas um dos advogados do grupo, Michael Davey, disse hoje que todos os policiais agiram de forma correta e de acordo com seu treinamento, e que, em nenhum momento, eles agrediram o rapaz. 

     

    Mais:

    Protestos recomeçam em Baltimore
    Obama: Não há desculpa para manifestantes que se envolvem em atos violentos em Baltimore
    Baltimore revela profundidade da discriminação racial nos EUA, diz diplomata russo
    Tags:
    violência, homicídio, protestos, distúrbios, racismo, Michael Davey, Marilyn Mosby, Freddie Gray, EUA, Maryland, Baltimore
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar