08:51 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Mulheres andam de mãos dadas perto de soldado francês na República Central-Africana

    ONU dispensa funcionário que revelou abusos sexuais cometidos por forças de paz

    © AP Photo / Rebecca Blackwell
    Mundo
    URL curta
    0 84

    Funcionário de ajuda humanitária sueco, Anders Kompass, foi dispensado de seu cargo no Gabinete do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos depois de divulgar informações confidenciais sobre a violência sexual contra crianças por forças de paz francesas na República Centro-Africana.

    O relatório confidencial da ONU revelou a compra de serviços sexuais por parte de soldados franceses em um centro de refugiados na República Centro-Africana em troca de comida e pequenas somas de dinheiro. A ONU acusou Anders Kompass de vazar informações confidenciais e violar o protocolo, demitindo o funcionário.

    Segundo a publicação do The Guardian, o experiente funcionário de ajuda humanitária de trinta anos recebeu acesso ao relatório em 2014. Ele decidiu enviar o relatório a promotores franceses após realizar que a ONU estava relutante em tomar medidas adequadas. Além disso, foi relatado que ele viajou para a República Centro-Africana para realizar sua própria investigação.

    Beatrice Edwards, um representante da organização Government Accountability Project, destinada a apoiar denunciantes, disse que sua organização representou "muitos denunciantes do sistema da ONU ao longo dos anos e, no geral, quanto mais grave é a denúncia, mais feroz é a retaliação".

    Já o representante do ministério das relações exteriores sueco, Anders Ronquist, saiu em defesa de Kompass:

    "Kompass tem feito um grande trabalho para as Nações Unidas na área dos direitos humanos, tanto durante seu trabalho para a organização na América Latina e depois de sua mudança para Genebra". Ronquist acrescentou que "a ONU não pode tolerar a violência sexual contra crianças e tem o dever de fazer todo o possível para que esses casos sejam investigados." 

    A ativista de direitos humanos da organização AIDS-Free World, Paula Donovan, por sua vez, disse "esta é uma evidência chocante e horrível. Graças a Anders Kompass, esses horrores se tornaram públicos e estão finalmente sendo investigados". Donavan está exigindo a criação de uma ampla comissão independente de inquérito sobre os abusos sexuais por tropas de paz da ONU.


    Mais:

    ONU planeja oferecer ajuda humanitária a 1,4 milhão de pessoas no Nepal
    Conselho de Segurança da ONU prepara resolução sobre crise de imigrantes no Mediterrâneo
    Veículo explode perto de escritório da ONU na Somália
    Rússia solicita à ONU pausa humanitária nos conflitos no Iêmen
    ONU: situação em campo de refugiados palestinos em Damasco é "além de desumana"
    Tags:
    direitos humanos, ajuda humanitária, forças de paz, abuso sexual, ONU, África
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik