11:34 19 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Malala Yousafzai, ao receber o Prêmio Nobel da Paz, em 2014.

    Paquistão condena homens que tentaram matar vencedora do Prêmio Nobel da Paz

    © AFP 2018 / Cornelius Poppe
    Mundo
    URL curta
    0 12

    A justiça do Paquistão condenou nesta quinta-feira (30) 10 homens acusados de tentar assassinar a ativista e Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai. Todos foram sentenciados à prisão perpétua.

    Um tribunal da cidade de Mingora entendeu a culpa do grupo na tentativa de homicídio ocorrido em 9 outubro de 2012, quando militantes talibãs invadiram o ônibus onde Malala estava e atiraram na cabeça da menina, então com 15 anos. O motivo do crime teria sido suas opiniões em defesa do direito à educação das crianças.

    Malala Yousafzai com 11 anos resolveu enfrentar o Talibã, que dominava o Vale de Swat, região conservadora onde morava e que entende que as mulheres devem ficar em casa. Em 2008, após a proibição por um mês das escolas darem aulas para meninas e sob incentivo do seu pai, Ziauddin Yousafzai, proprietário de uma instituição de ensino, que não acatou a decisão e pediu ajuda aos militares paquistaneses, ela passou a escrever um blog defendendo a educação para todas as crianças.

    Os escritos na internet começaram após Malala ser entrevistada pela BBC. Ela ganhou fama e passou a frequentar programas televisivos e as páginas dos jornais, além de participar de um documentário, que a levou a ser indicada ao Prêmio Internacional da Paz da Infância em 2011, honraria que só ganhou dois anos mais tarde.

    A notoriedade deixou a família preocupada com as consequências de suas opiniões. No entanto, todos acreditavam que um possível alvo seria o pai de Malala, também um respeitado ativista do Vale de Swat.

    Após a tentativa de assassinato, a paquistanesa foi transferida rapidamente para um hospital na Inglaterra, onde vive até hoje. No ano passado, aos 17 anos, ganhou o Prêmio Nobel da Paz junto com o indiano Kailash Satyarthi, que luta contra o trabalho infantil. Malala é a pessoa mais jovem a receber a honraria.

    Tags:
    trabalho infantil, educação, direitos das crianças, tiro, ataque, prisão perpétua, condenação, crime, Prêmio Nobel, Talibã, BBC, Ziauddin Yousafzai, Kailash Satyarthi, Malala Yousafzai, Índia, Inglaterra, Vale de Swat, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik