17:19 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Senador norte-americano John McCain

    Senador McCain é contra negociações sobre desarmamento nuclear com a Rússia

    © AFP 2018 / BRENDAN SMIALOWSKI
    Mundo
    URL curta
    0 229

    O senador norte-americano John McCain pediu à administração dos EUA não realizar negociações com a Rússia sobre armas nucleares estratégicas e sugeriu que o senado poderia bloquear uma iniciativa como essa.

    “Negociar com a Rússia sobre redução do arsenal nuclear estratégico é uma idéia perigosa, ingênua e fadada ao fracasso, no que depender do senado dos EUA”, avisou McCain em comunicado. Segundo ele, Moscou estaria interferindo na Ucrânia e violando o acordo de liquidação de mísseis de curto e médio alcance (Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário).

    “Pedir somente a redução do armamento nuclear estratégico e ignorar o extenso arsenal russo de armas nucleares táticas é uma falta de visão”, diz o político. As suas declarações foram divulgadas tendo com pano de fundo a conferência de não-proliferação de armas nucleares, que começou em Nova York nesta segunda-feira.

    No entanto, o presidente russo, Vladimir Putin, frisou, também nesta terça, que a Rússia está cumprindo todas as exigências do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares. Inclusive o artigo VI, que prevê negociações de boa fé visando um futuro acordo mundial de desarmamento nuclear completo. No momento, o arsenal nuclear russo está reduzido ao mínimo, assegurou o presidente, durante a conferência sobre o desarmamento nuclear na ONU:

    "Nós reduzimos o nosso arsenal nuclear ao mínimo, o que constitui uma contribuição importante para o desarmamento total e completo".

    Também na segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores russo afirmou que a política dos EUA representa um sério obstáculo ao desarmamento nuclear. No entanto, a Rússia não excluiu a possibilidade de prosseguir as negociações com Estados Unidos sobre o tema, desde que Washington se disponha a negociar a redução do sistema de defesa antimísseis na Europa, que preocupa Moscou desde o início da implantação do projeto no Leste Europeu. O ministério também rejeitou as acusações norte americanas de que a Russia teria violado tratados internacionais, incluindo o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, como o Secretário de Estado norte-americano, John Kerry acusou na ONU nesta segunda-feira (27).

    Mais:

    Vice-chanceler: missões nucleares da OTAN contradizem acordo de não-proliferação
    Lavrov: potencial da Conferência sobre o Desarmamento não está esgotado
    Tags:
    não-proliferação, armas nucleares, ONU, John McCain, Nova York, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik