15:47 11 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 24
    Nos siga no

    A União Europeia (UE) vai alocar €70 milhões à Ucrânia para um projeto que visa construir estruturas de proteção na zona da central nuclear de Chernobyl, segundo declarou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, após a cúpula UE-Ucrânia nesta segunda-feira (27), em Kiev.

    No domingo (26), ao visitar a usina de Chernobyl para uma cerimônia memorial às vítimas do acidente nuclear de 1986, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, pediu ajuda a “países doadores” para completar um projeto de contenção radioativa no local.

    O invólucro em torno do reator nuclear afetado está desmoronando, provocando um risco renovado de contaminação radioativa. A nova cobertura para o local já está em construção, mas o projeto está ficando sem financiamento. Estima-se que até o fim do ano o déficit será de €600 milhões.

    A obra, cujos custos já estão estimados em €1,425 bilhão, está saindo mais caro do que o esperado, e o financiamento, mais difícil de obter. A terrível situação econômica do governo ucraniano está aumentando o problema e o projeto corre o risco de ser congelado se não obter financiamento adequado.

    Vinte e nove anos atrás, em 26 de abril de 1986, o mundo testemunhou o maior desastre nuclear da História em termos de custos e vítimas, cujos efeitos ainda hoje são sentidos. Uma explosão seguida de incêndio no reator número 4 da usina de Chernobyl liberou grandes quantidades de partículas radioativas na atmosfera, as quais se espalharam sobre as partes ocidentais da URSS e da Europa. 

    De acordo com relatórios oficiais, 600 mil pessoas envolvidas no combate ao incêndio e nas operações de limpeza de Chernobyl foram expostas a altas doses de radiação. Mais de oito milhões de pessoas na Bielorrússia, na Ucrânia e na Rússia foram expostas à radiação. Mais de 155 mil metros quadrados nos três países foram contaminados. Mais de 400 mil pessoas foram reassentadas, mas milhões continuaram a viver em um ambiente onde a exposição residual criou uma série de efeitos adversos.

    O acidente é um dos dois únicos classificados como um evento de nível 7 (classificação máxima) na Escala Internacional de Eventos Nucleares, o outro sendo o desastre de Fukushima, no Japão, em 2011.

    A 17ª Cúpula UE-Ucrânia é o primeiro evento desse tipo no âmbito do Acordo de Associação entre as duas partes, assinado no ano passado. Os principais temas da reunião foram as reformas políticas e econômicas na Ucrânia e a assistência financeira da UE para a execução deste propósito. Os participantes também abordaram a importância da aplicação dos acordos de Minsk, assinados em fevereiro, para resolver as tensões no sudeste da Ucrânia. 

    Mais:

    Liberdade para 60 mil presos: Rússia declara anistia no Dia da Vitória
    Moscou acusa Kiev de impedir trabalho da OSCE enquanto combates se intensificam
    Crimes econômicos de Kiev não embaraçam União Europeia
    Tags:
    Chernobyl, acidente nuclear, Fukushima, Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, Pyotr Poroshenko, URSS, Bielorússia, União Europeia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar