04:59 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 101
    Nos siga no

    O presidente grego Prokopis Pavlopoulos disse que em breve pretende visitar a Alemanha e levantar a questão do pagamento, por parte de Berlim, de uma reparação pelos crimes cometidos pelos nazistas na Grécia durante a Segunda Guerra Mundial.

    Em entrevista ao Spiegel Online nesta segunda-feira (27), Pavlopoulos disse que o assunto pode ser resolvido em um fórum internacional, como o Tribunal Internacional da ONU em Haia.

    "Países civilizados chegam a acordos desta maneira nas controvérsias", disse ele.

    Segundo os cálculos do governo grego, a Alemanha deve quase 279 bilhões de euros (R$ 945 bilhões) em compensação pelos danos causados à Grécia durante a guerra. O valor se refere, em primeiro lugar, à devolução de um empréstimo que os nazistas obrigaram o Banco da Grécia a contrair. Além disso, Atenas também exige uma reparação pela infraestrutura destruída durante a ocupação nazista entre 1940 e 1944, bem como uma compensação pelos massacres perpetrados no país pelos oficiais do Terceiro Reich.

    Berlim, por sua vez, tem afirmado que a questão das reparações já foi concluída há vários anos e questiona o motivo de a Grécia não ter feito suas exigências atuais quando entrou na zona do euro.

    A este respeito, Pavlopoulos se expressou categoricamente nesta segunda-feira contra a saída de Atenas da União Europeia.

    "A questão da saída da zona do euro nem me ocorre. Durante os anos setenta a Grécia fez esforços significativos para se integrar à Europa… é impossível imaginar a Grécia fora da Europa", disse o presidente à publicação alemã.

    Segundo ele, Atenas cumprirá seus compromissos sobre a dívida "até o último euro". No entanto, o chefe de Estado criticou o duro programa econômico imposto ao país pelos credores internacionais a fim de garantir os pacotes de resgate – que desde de 2010 tentam evitar o colapso financeiro da Grécia, mas à custa de enormes perdas sociais devido à extrema austeridade das medidas exigidas.

    "Isto não trouxe qualquer desenvolvimento positivo para o crescimento da economia, pelo contrário, levou a economia grega à recessão", concluiu Pavlopoulos.

    No início do mês, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, fez uma visita oficial à Rússia para discutir a cooperação entre os dois países. O encontro entre Tsipras e o presidente russo, Vladimir Putin, levantou certa preocupação nos círculos políticos da União Europeia, dado que o premiê grego havia se posicionado contra as sanções antirrussas logo após assumir o mandato, em janeiro, à frente de uma coalizão de esquerda contra as medidas de austeridade apoiadas pela Alemanha.

    Um dos temas a causar preocupação na imprensa europeia era a possibilidade de Tsipras solicitar ajuda econômica a Putin. O presidente russo, entretanto, informou que esse pedido não foi feito, mas afirmou que Moscou pode oferecer créditos à Grécia para a realização de projetos conjuntos e que as companhias russas estão prontas para participar da possível privatização de empresas gregas.

    Mais:

    EUA consideram projeto de gasoduto russo na Grécia obstáculo para seus esforços
    Grécia negocia com a Rússia a compra de mísseis para sistemas de defesa antiaérea S-300
    Putin devolve à Grécia ícone ortodoxo roubado pelos nazistas na II Guerra Mundial
    Tags:
    Grécia, Alemanha, Rússia, União Europeia, Prokopis Pavlopoulos, Alexis Tsipras, Syriza, FMI, Banco Mundial, Tribunal de Haia, Segunda Guerra Mundial, reparações de guerra, nazismo, ajuda financeira, dívida
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar