11:06 25 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    0 372
    Nos siga no

    O presidente sírio fez declarações sobre o combate ao grupo terrorista Estado Islâmico, a cooperação entre o seu governo e a inteligência francesa e acusou os EUA de ajudarem à criação do grupo.

    O presidente da Síria, Bashar Assad, concedeu uma entrevista ao canal de TV francês France24 em 21 de abril.

    Segundo ele, o grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) foi criado no Iraque em 2006 "sob a supervisão dos norte-americanos".

    "O EI foi criado no Iraque, em 2006, sob a supervisão dos norte-americanos. O EI veio do Iraque para a Síria porque o caos é contagioso. Será que é democrático enviar armas aos terroristas e apoiá-los? Então, será que eu tenho o direito de apoiar os terroristas que atacaram Charlie Hebdo, por exemplo?"

    Ele negou o uso de armas químicas ou bombas de barril contra seus inimigos, sublinhando que as tropas iranianas têm apoiado o seu regime, e acusou o Ocidente e os países árabes da região de apoio à infiltração de terroristas na Síria.

    Assad também afirmou que convidou os combatentes do movimento xiita Hezbollah a combaterem ao lado de seu regime, mas negou a presença de tropas iranianas na Síria.

    O líder sírio também negou estar por trás de supostos ataques químicos na província de Idlib no mês passado.

    Assad comentou igualmente o alegado combate dos EUA contra o Estado Islâmico:

    “Se você comparar o número de ataques aéreos realizados pela coalizão, composta por 60 Estados, com os de nosso pequeno país, vai notar que, por vezes, atingimos dez vezes mais do que a coalizão em um dia. Isso é sério? Levou-lhes quatro meses para libertarem algo que a sua mídia chama da cidade de Kobane, na fronteira turca. Como podemos dizer que a coalizão é eficaz? Eles não são sérios e é por isso que eles não estão a ajudar ninguém na região.”

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    Tags:
    entrevista, Estado Islâmico, Bashar Assad, Irã, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar