17:58 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Petróleo

    Mísseis russos em troca de petróleo iraniano

    © AP Photo / Hasan Jamali
    Mundo
    URL curta
    0 221
    Nos siga no

    A decisão russa de fornecer sistemas de mísseis S-300 ao Irã mostra a sua vontade de cooperar com o Irã no domínio da segurança. É claro que esta cooperação não agrada aos EUA, porque muda de forma radical os seus planos na área da defesa.

    O ministro da Defesa iraniano, Hossein Dehkan, manterá conversações com o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, na quinta-feira (16), durante uma visita a Moscou. A declaração foi feita pelo embaixador do Irã na Rússia, Mehdi Sanai:

    "O ministro da Defesa [do Irã] chegará a Moscou na quinta-feira para participar da conferência sobre a segurança. Para quinta-feira está marcada uma reunião bilateral com o ministro da Defesa russo. Eles vão discutir o desenvolvimento da cooperação e tudo o que foi dito durante a visita de Shoigu ao Irã," disse ele.

    Na quarta-feira, 15 de abril, a Rússia confirmou o acordo com o Irã de "petróleo por mercadorias", quer dizer que serão exportados bens russos em troca de petróleo. Desde o início da semana, segundo a chancelaria russa, o Irã recebe grãos, equipamentos e materiais de construção.

    Na véspera do levantamento das sanções contra Teerã, a Rússia se mostra pronta para a parceria estreita com o Irã.

    Todas as sanções contra o Irã nos setores bancário e de petróleo serão levantadas quando o acordo com o sexteto sobre o seu programa nuclear entrar em vigor, de acordo com a mídia iraniana.

    O levantamento das sanções abrirá novas oportunidades para as empresas russas. A remoção das sanções bancárias simplificará os procedimentos comerciais, e eliminará o risco de atrasos de pagamentos e a necessidade de encontrar soluções alternativas para negociação. Sem mencionar o fato de que o Ocidente não poderá ter pretexto formal para interferir nas operações entre a Rússia e o Irã, nem por meios políticos nem econômicos.

    O anúncio de Putin sobre levantamento do embargo ao fornecimento de sistemas de defesa aérea S-300 ao Irã marcou uma nova etapa na política russa do Oriente Médio, que não só estabelece os antigos laços econômicos, mas também mostra a busca do apoio para uma nova ordem mundial.
    O especialista alemão em Oriente Médio, ex-chefe do Instituto Deutsche Orient-Institut, Udo Steinbach comentou a situação à Sputnik:

    “A remoção do embargo é um forte sinal de que a Rússia pretende continuar, especialmente na área de segurança, a ocupar o papel de parceiro do Irã.”

    A decisão russa também mostra a diferença entre a situação internacional em 2010, quando o embargo foi imposto, e hoje:

    "A comunidade internacional tem dado um sinal ao excluir a Rússia do G8. A propósito, agora está sendo realizada a reunião do G7. A Rússia, por sua vez, deixa claro: nós temos interesses próprios e eles incluem o Irã", disse o especialista.

    Ao mesmo tempo que a Rússia aumenta a sua influência no Oriente Médio e a vontade de cooperar com o Irã, os EUA mostram o contrário.
    Obama está pondo em risco todos os acordos alcançados sobre o programa nuclear do Irã.

    Nesta quarta-feira, 15 de abril, Obama assinou um projeto de lei segundo o qual ele só se reservará o direito de cancelar unilateralmente aquelas sanções contra o Irã que foram introduzidas por meio de decretos presidenciais e não por decisão do Congresso.

    O Departamento de Estado dos Estados Unidos afirmou, na segunda-feira (13), que a decisão da Rússia de suspender o embargo à venda de sistemas antiaéreos S-300 ao Irã não viola sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU ao Irã, mas vem em um momento errado porque o Irã está desestabilizando o Oriente Médio.

    Mais:

    EUA: momento errado para a Rússia vender sistemas S-300 ao Irã
    EUA fazem sua "última" declaração a respeito do Irã
    Tags:
    cooperação, sanções, S-300, Barack Obama, Vladimir Putin, Oriente Médio, Irã, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar