18:30 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Ministros do exterior francês Laurent Fabius, ucraniano, Pavlo Klimkin, alemão, Frank-Walter Steinmeier e russo, Sergei Lavrov.

    Lavrov: Os chanceleres do grupo da Normandia ratificaram seu apoio aos acordos de Minsk

    © REUTERS/ Clemens Bilan/POOL
    Mundo
    URL curta
    0 40552

    Os chanceleres de Alemanha, França, Ucrânia e Rússia, reunidos nesta segunda feira em Berlim, confirmaram sua posição de apoio aos acordos de Minsk, declarou o ministro do exterior russo, Sergei Lavrov

    O encontro de Frank-Walter Steinmeier, Laurent Fabius, Pavlov Klimkin e Sergei Lavrov ocorreu na casa oficial de recepções do Ministério das relações exteriores alemão, em Berlim.

    "Concordamos que os acordos de Minsk devem ser cuidadosamente respeitados não só na parte militar, mas também na parte política, econômica e humanitária", comentou Lavrov ao término das conversações.

    O chanceler russo assinalou que o bloqueio econômico a Donbass é prejudicial, não se pagam os salários, pensões nem subvenções, o que é motivo de preocupação", indicou.

    Disse ainda que a ideia de introduzir uma força de paz na Ucrânia não teve apoio nas conversações.

    "Nosso colega ucraniano expôs essa ideia (de introduzir forças de paz), mas não houve prosseguimento nem comentários dos demais", apontou.

    Lavrov assinalou que as declarações feitas pelos ministros em Berlim dão esperanças para que os acordos de Minsk sejam cumpridos.

    "A declaração final do ministro do exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, nos dá esperanças de que todo o acordo de Minsk será posto em prática", disse o chefe da diplomacia russa.

    A primeira reunião entre os quatro sobre a crise ucraniana aconteceu na Normandia em junho do ano passado durante os atos comemorativos dos 70 anos do desembarque aliado e contou com a participação dos líderes de Alemanha, França, Rússia e Ucrânia.

    Desde então, foram realizados vários encontros no mesmo formato, conhecido como formato de Normandia, tanto a nível máximo (entre chefes de Estado), como no patamar dos Ministérios de relações exteriores dos quatro países.

    As autoridades ucranianas iniciaram em abril de 2014 uma operação militar contra as milícias de Donbass, uma região na qual seus habitantes se mostraram inconformados com a violenta troca de poder no país.

    Segundo os últimos dados da ONU, o conflito armado já causou mais de 6.000 mortes e ao menos 15.429 feridos desde seu início em abril de 1024

    Atualmente na região vige um cessar fogo para resolver a crise ucraniana, aprovado em 12 de fevereiro deste ano em Minsk.

    Tags:
    quarteto de Normandia, Pavlov Klimkin, Laurent Fabius, Frank-Walter Steinmeier, Sergei Lavrov, Berlim, Alemanha, França, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik