09:27 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Barack Obama e o líder cubano Raúl Castro apertam as mãos na abertura da Cúpula das Américas no Panamá

    Pedido de fim do embargo dos EUA marca o discurso de Raúl Castro na Cúpula das Américas

    © REUTERS / Presidência Panamá/Handout via Reuters
    Mundo
    URL curta
    Normalização de relações entre Cuba e EUA (67)
    0 12

    O presidente de Cuba, Raúl Castro, e o presidente dos EUA, Barack Obama, tiveram um encontro histórico na VII Cúpula das Américas neste sábado, 11, no Panamá. Durante o encontro, Castro pediu que os Estados Unidos continuassem a adotar passos para retirar o embargo à ilha.

    Segundo o líder cubano, "o embargo continua sendo um grande obstáculo para o desenvolvimento da economia cubana. Isso viola os princípios do direito internacional e tem um impacto negativo em todos os países da região. O embargo, que ainda existe, não é culpa do atual presidente (Barack Obama). Mas temos de continuar a buscar e apoiar o presidente Obama em suas intenções de levantar o bloqueio econômico ". 

    Durante a sessão plenária da Cúpula das Américas, Castro afirmou que o restabelecimento das relações diplomáticas é uma coisa, o bloqueio é completamente diferente. "Eu peço a vocês que continuem na luta contra o embargo econômico", acrescentou Castro, se dirigindo aos participantes da cúpula. 

    O professor de Relações Internacionais da Universidade Federal Fluminense,Thiago Rodrigues, em entrevista à agência Sputnik, disse que "esse pleito de Cuba pode ser aceito pelos Estados Unidos, ou pelo menos aceito pelo Poder Executivo americano, o que não quer dizer que seja isso passe por uma aprovação no congresso dos Estados Unidos". O especialista, observou, no entanto, que após o encontro dos chefes de Estado há o processo interno destes países pelo qual cada decisão deve passar. 

    "Uma coisa são as declarações dadas hoje, ou declarações que possam aparecer na declaração final da Cúpula das Américas. Outra coisa são as decisões qe venham a ser efetivamente realizadas nos dias e meses que se seguirem à cúpula. Então é possível uma finalização política por parte do governo Obama de uma aproximação e até mesmo de um acatamento deste pedido cubano para o embargo ser levantado, mas isso não quer dizer que essa decisão seja aprovada no âmbito doméstico americano", afirma o especialista. 

    Líderes de 33 países estão presentes da VII Cúpulas da Américas, no Panamá. Um dos principais temas da reunião é a reaproximação entre EUA e Cuba, assim como a deterioração das relações entre os Estados Unidos e a Venezuela. 

    O presidente norte-americano, Barack Obama, e o líder cubano, Raul Castro, anunciaram o restabelecimento das relações diplomáticas em dezembro de 2014, interrompidas há mais de 50 anos, bem como a remoção de uma série de restrições ao comércio, o investimento e as viagens impostas pelos Estados Unidos contra Cuba. O embargo dos EUA a Cuba, no entanto, continua em vigor.


    Tema:
    Normalização de relações entre Cuba e EUA (67)

    Mais:

    Dilma critica EUA por embargo a Cuba e sanções contra Venezuela
    Reaproximação entre EUA e Cuba poderá ser temporária?
    Começou no Panamá a primeira Cúpula das Américas com a participação de Cuba
    Com Cuba, Cúpula das Américas reúne líderes no Panamá
    Tags:
    Cúpula das Américas, Raúl Castro, Barack Obama, Cuba, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik