11:41 13 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    2746
    Nos siga no

    A guerra na área das chamadas “tecnologias sensíveis” entre os EUA e a China está ganhando força.

    Especialistas russos comentaram à emissora Sputnik a proibição dos Estados Unidos aos fornecimentos dos novos microprocessadores Intel para o supercomputador chinês Tianhe-2. Esta tentativa visa restringir o desenvolvimento tecnológico da China e criar preferência às empresas norte-americanas que desafiam o Tianhe-2 na concorrência pelo ranking de supercomputadores.

    O Tianhe-2 é o supercomputador mais rápido do mundo, quem segundo as autoridades estadundentes, ameaça a segurança dos EUA e pode ser usado para criar modelos de explosões nucleares. Este é o pretexto que o governo dos Estados Unidos usa para bloquear os dispositivos de administração da Intel e outros componentes eletrônicos para o supercomputador chinês.

    O Tianhe-2 foi criado com base nos microchips norte-americanos modernizados.

    Na sexta-feira, 10 de abril, os sites noticiosos mais populares da China negaram as acusações de ensaios de armas nucleares. O seu alvo principal é a pesquisa civil, em particular do genoma humano.

    O especialista russo na inteligência competitiva Evgueny Yushuk comentou a situação:

    “Este é o exemplo clássico de dupla utilização duma tecnologia. Pode ser usada para calcular todo tipo de processos complicados. O cálculo do genoma humano é um agrupamento e processamento de grandes quantidades de dados e pesquisa de padrões do desenvolvimento. Quase o mesmo problema, mas com outros dados com outros fins, é resolvido na simulação de uma explosão nuclear”.

    É de notar que o Tianhe-2 já há quatro anos lidera o ranking dos sistemas de computadores de alto desempenho do mundo. Ele supera o seu rival principal, o norte-americano Titan, quase por dois vezes.

    Evgueni Yushuk opina: “Os norte-americanos estão tentando impedir o desenvolvimento militar da China. Talvez este de fato possa criar problemas para a China. É possível que a China não seja capaz de encontrar um pleno substituto agora à custa de sua própria produção. Caso contrário, porque eles compram os componentes nos Estados Unidos”.

    O novo escândalo nas relações a China e os EUA se desenvolve durante a preparação ativa para a visita aos EUA do presidente chinês, Xi Jinping.

    A cúpula sino-americana é prevista para setembro. Um dos principais tópicos das conversas pode ser o problema com o levantamento da proibição das exportações para a China das tecnologias norte-americanas de dupla utilização.

    O premiê chinês, Li Keqiang, recentemente voltou a colocar a questão antes de os parceiros transatlânticos quando o secretário do Tesouro norte-americano, Jack Lew, chegou a Pequim antes da cúpula. Aparentemente, o bloqueio do fornecimento de microprocessadores Intel é a resposta dos EUA à parte chinesa.

    Tags:
    inovação, computador, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar