15:23 21 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Produtos de Carne

    Rússia será determinante para exportações de carne brasileira em 2015

    © Sputnik/ Elizabeth Azarova
    Mundo
    URL curta
    BRICS: organização do futuro (189)
    0 54871

    A demanda pela carne bovina brasileira deve crescer em 2015, mas o bom desempenho das exportações depende de uma recuperação do comércio com a Rússia, segundo avaliação do Rabobank. O país, que é o segundo maior importador desse produto, reduziu suas compras durante o primeiro trimestre.

    Segundo os analistas do banco em relatório trimestral sobre o mercado internacional do boi, "os desenvolvimentos da situação na Rússia serão uma questão-chave para as exportações de carne brasileira nesse ano". As vendas externas do Brasil, no entanto, devem ser favorecidas pela desvalorização do real, uma tendência que a instituição financeira acredita que irá continuar. A depreciação torna os produtos brasileiros relativamente mais baratos para alguns mercados internacionais, o que se reflete em um ganho de competitividade.

    O Rabobank também destaca os problemas macroeconômicos vividos pelo Brasil, citando projeções de queda de 0,5% no Produto Interno Bruto (PIB) e de inflação de 7% ao ano, acima do teto da meta estabelecida pelo Banco Central. O cenário pressiona a indústria da carne bovina a manter competitivos os preços no atacado, a fim de evitar a migração dos consumidores para proteínas alternativas, como a carne de suínos e aves. O banco também afirma que as crises energéticas e hídricas no País devem limitar a capacidade de crescimento da indústria esse ano.

    Os analistas também preveem que os preços da arroba devem permanecer firmes durante o primeiro semestre, devido à escassez de animais. Ao mesmo tempo, a previsão é de que o confinamento tenha expansão em 2015 com os menores custos para a alimentação do boi. No entanto, essa oferta maior não deve aliviar a pressão de alta sobre a arroba no segundo trimestre, se a expectativa de aumento nas exportações se provar correta.

    A menor disponibilidade de gado é um problema global, o que deve manter a oferta apertada ao longo de 2015, caso não haja um aumento na produção no curto prazo. Até o momento, a seca na Austrália tem incentivado pecuaristas a vender mais animais, o que compensa momentaneamente a restrição na oferta em outros países. No entanto, o Rabobank estima que os abates no país não podem continuar nesse nível por muito mais tempo.

    O banco também cita que a valorização do dólar em relação a uma série de moedas ajuda os países que exportam para os Estados Unidos, notadamente Canadá, México, Austrália e Nova Zelândia. Por outro lado, o rublo esboçou recuperação a partir de fevereiro, o que pode sustentar as importações da Rússia.

    Na China, os preços da carne bovina no atacado permaneceram estáveis durante o início do ano. Isso sugere um enfraquecimento na demanda, já que os preços geralmente sobem nesse período devido ao festival da primavera. Dentre os fatores que contribuem para essa retração no consumo, o banco cita a desaceleração econômica do país, a campanha anticorrupção empreendida pelo governo e os preços competitivos de proteínas alternativas.

     

    fonte: Estadão Conteúdo


    Tema:
    BRICS: organização do futuro (189)

    Mais:

    Carne paquistanesa pode competir com a brasileira
    América Latina seguirá sendo o maior exportador de carne para a Rússia em 2015
    Rússia detém 38% das exportações da carne suína brasileira
    Exportação de carne argentina para a Rússia aumentou 38% em 2014
    Tags:
    exportações, PIB, comércio bilateral, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik