14:30 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 212
    Nos siga no

    O primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi, na véspera do seu primeiro encontro oficial com o presidente estadunidense, Barack Obama, planejado para o dia 14 de abril, criticou o papel dos EUA na luta contra os militantes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

    “Bagdá foi quase cercado pelo EI e ninguém, inclusive os Estados Unidos, fez nada”, disse Haider al-Abadi em entrevista à revista alemã Der Spiegel. 

    O premiê iraquiano, segundo a edição, acusou as autoridades em Washington de não proporcionarem ao Iraque uma ajuda rápida e eficaz. 

    Ao mesmo tempo, Haider al-Abadi avaliou positivamente a cooperação do Iraque com o Serviço Federal de Inteligência da Alemanha (BND) frisando que os funcionários da inteligência alemã informaram Bagdá sobre os cidadãos da Alemanha que se juntaram às fileiras do Estado Islâmico. O premiê também lembrou que a Alemanha fornece armas aos serviços de segurança do Iraque na luta contra terroristas.  

    Na entrevista, Haider al-Abadi também reconheceu o apoio do Irã nas áreas de fornecimento de armas e conselheiros ao lado iraquiano. Segundo frisa o Der Spiegel, o Irã foi um dos primeiros países a entrar na luta contra o EI, em primeiro lugar para proteger seus próprios interesses.

    Tags:
    ajuda, confrontos, Estado Islâmico, Irã, Alemanha, EUA, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar