22:59 17 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Complexo de defesa aérea Buk.

    Venezuela planeja a compra de mais armas russas e chinesas

    © Sputnik/ Evgeny Yepanchintsev
    Mundo
    URL curta
    22109373

    O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, planeja comprar mais armas produzidas na Rússia e na China, argumentando que o país deve intensificar a sua defesa contra ameaças externas. "Somos um povo de paz, não queremos violência nem guerra", disse, acrescentando que o exército, a polícia e o povo da Venezuela precisam ficar alerta.

    Venezuela é o maior importador de armas na América Latina, de acordo com o Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo. Desde 2011, o país gastou, aproximadamente, US$ 2,6 bilhões em armas, comprando a maioria delas na Rússia.

     

    No período 2012-2015, a Venezuela deverá se tornar o segundo maior importador de armas russas, com os negócios chegando a até US $ 3,2 bilhões, afirmou à RIA Novosti o chefe do Centro de Análise do Mundial do Comércio de Armas da Rússia, Igor Korotchenko.

     

    A exportadora de armas russa Rosoboronexport assinou mais de 30 contratos de fornecimento de armas com a Venezuela entre 2005 e 2009. O país sul-americano recebeu sistemas russos de defesa aérea (Antey-2500, Pechora-2M, Buk e Igla), bem como os tanques T-72M, sistemas de lançadores de foguetes múltiplos Grad e Smerch, veículos blindados e artilharia.

    Tags:
    armas russas, compra, Defesa, Negociação, importação, T-72M, Antey-2500, Smerch, Grad, Pechora-2M, Igla, Buk, Instituto Internacional de Estudos para a Paz, Nicolás Maduro, Estocolmo, Venezuela, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik