17:33 21 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Protesto na Praça Maidan em Kiev, 22 de fevereiro

    Líder do Setor de Direita: Ucrânia pode enfrentar um novo Maidan, ainda mais sangrento

    © Sputnik/ Andrei Stenin
    Mundo
    URL curta
    0 3025266

    A Ucrânia pode enfrentar um terceiro Maidan, disse Dmitry Yarosh, deputado ucraniano e líder do grupo extremista Setor de Direita, em entrevista ao jornal Obozrevatel.

    “Na Ucrânia tudo é possível. Sobretudo um novo Maidan. As pessoas têm dignidade. E quando elas estão fartas, saem para o Maidan”, manifestou Yarosh.

    Maidan, além de ser a praça principal de Kiev, passou a significar também o próprio golpe de Estado ocorrido na Ucrânia.

    Ele tem certeza que, se acontecer um novo Maidan, será mais sangrento que o precedente.  

    “Com certeza o novo será muito… diferente, digamos. As pessoas têm tantas armas nas mãos que ninguém ficará em barracas durante um mês ou dois, cantando e agitando lanternas. E isto é algo que nós não queremos”, frisou.

    Yarosh confessou que se vê obrigado a convencer alguns membros da organização de que, na situação atual, um novo Maidan pode resultar em perda do Estado ucraniano.

    “Temos rapazes radicais que já gritam: vamos fazer isto agora! Especialmente a juventude que sentiu este espírito de liberdade – e agora estão prontos a assaltar já amanhã a Suprema Rada e a administração presidencial e tirar todos fora dali. Tentamos explicar-lhes que assim vamos perder o Estado”, manifestou.

    O Setor de Direita é uma união de organizações nacionalistas de extrema direita. Em janeiro e fevereiro de 2014, os combatentes do movimento participaram em confrontos com a polícia e no assalto a edifícios administrativos em Kiev. Depois de abril, participaram no esmagamento dos protestos no leste da Ucrânia, ao lado do exército ucraniano. Em março de 2014, o movimento foi transformado em partido político, liderado por Dmitry Yarosh, mantendo ao mesmo tempo o seu braço armado. A atividade do Setor de Direita é proibida na Rússia. 

     

    Tags:
    protesto, Maidan, Setor de Direita, Kiev, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik