11:12 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Sede da ONU em Nova York

    Brasil se abstém em votação da ONU sobre direitos humanos na Síria e no Irã

    © AP Photo/ Osamu Honda, File
    Mundo
    URL curta
    0 0 102

    O Brasil se absteve da votação de duas resoluções sobre a violação dos direitos humanos na Síria e no Irã, no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas.

    As duas resoluções tratam das violações e da situação humanitária nos dois países e foram adotadas pelo conselho após a votação desta sexta-feira.

    A diplomacia brasileira explicou que, no caso da Síria, a abstenção foi devido a discordâncias sobre a participação de grupos armados. Em nota divulgada nesta sexta-feira, o ministério das relações exteriores brasileiro afirmou: 

    “Apesar das últimas modificações no texto, a resolução ainda não reconhece a responsabilidade e não repudia devidamente a participação de vários grupos armados da oposição, com exceção dos Daesh e Al-Nusra, por graves violações dos direitos humanos e do direito humanitário. Essa lacuna pode erroneamente transmitir uma mensagem de tolerância a essas graves irregularidades e, assim, incentivar ainda mais violência contra a população civil”.

    A diplomacia brasileira ainda destacou que “não há solução militar para a crise e a insistência em ver uma vitória militar como a única saída é uma causa real e definitiva para a atual situação da população síria”.

    Para o Itamaraty, a tarefa de assegurar os direitos da população síria cabe primordialmente às autoridades do país, sem intervenções externas. O Brasil também defendeu que as partes envolvidas ou apoiadoras do conflito se abstenham de ações que possam prolongar a disputa.

    Em relação à resolução sobre o Irã, o Brasil diz que reconhece os esforços do relator especial da ONU Ahmed Shahhed – principalmente na defesa de direitos humanos, de jornalistas, mulheres e minorias religiosas no país – mas que ainda há violações graves e falta cooperação do governo iraniano.

    Segundo a nota, “o aumento no número de execuções no Irã, seguindo a aplicação da pena de morte também é uma questão com a qual o Brasil particularmente se preocupa”. “Esperamos que o engajamento do Irã com os mecanismos de direitos humanos das Nações Unidas se traduza em medidas efetivas para promover e proteger os direitos humanos no país”, avaliou o Itamaraty.

     

    Mais:

    Conselho de Segurança: faltam recursos para ajuda humanitária na Síria
    Kerry elogia cooperação da Rússia na retirada de armas químicas da Síria
    UNESCO aponta Irã como assistente de Síria e Iraque na área de restauração de monumentos
    Tags:
    direitos humanos, ONU, Irã, Síria, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik